Conecte-se conosco

Agronegócio

Sul Coreanos inspecionam frigoríficos em Santa Catarina

Publicado

em

Ouça esta matéria

Os sul coreanos visitarão frigoríficos e unidades de processamento de carne suína da Pamplona Alimentos, em Presidente Getúlio, na terça-feira; da BRF, em Campos Novos, na quarta-feira, 17; da Cooperativa Central Aurora Alimentos, em Chapecó, na quinta-feira, 18; e da Seara Alimentos; em Seara, na sexta-feira, 19. Segundo o Secretário de Assuntos Internacionais, Carlos Adauto Virmond, a expectativa do Governo do Estado é muito positiva em relação às inspeções. “Estamos muito otimistas de que as unidades visitadas receberão a maior nota”, declarou Vimond.

O Secretário acredita que o processo de abertura do mercado sul coreano seja concluído nos próximos meses com início das exportações ainda no segundo semestre deste ano. A Coreia do Sul é o quarto maior exportador de carne suína do mundo. “Isso pode representar um acréscimo de até 30% no volume de exportação de carne suína e derivados de Santa Catarina e, sem dúvida nenhuma, terá reflexos muito positivos em toda a cadeia produtiva catarinense”, prevê.

O status sanitário é o diferencial de Santa Catarina, de acordo com o Secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa. “As exportações para mercados mais competitivos, como Japão e Coreia do Sul, provam que o nosso status sanitário diferenciado e a qualidade de nossos produtos trazem resultados efetivos, principalmente com a receita de nossas exportações. Todo o esforço dos produtores, setor público e iniciativa privada na busca da excelência sanitária está de fato gerando lucros”, ressalta Sopelsa.

Agronegócio

Feira da Agricultura Familiar estará fechada nas próximas duas sextas-feiras

Publicado

em

Ouça esta matéria

A Feira da Agricultura Familiar de Içara estará de portas fechadas nas próximas duas sextas-feiras, dias 6 e 13. A decisão foi tomada pela maioria dos dez feirantes que integram a Cooperativa da Agroindústria Familiar de Içara (Coopafi) ao alegar que o período de janeiro tem menor movimento e seria favorável para um descanso. Com a parada da feira, o projeto Reciclou, Levou também não terá atividades pelo mesmo período.

“Foi uma opção da maioria dos feirantes. Alguns até queriam continuar, como eu, mas a maioria venceu. Iremos voltar com força no dia 20 de janeiro e em março retomaremos a feira nas quartas-feiras também”, comentou o presidente da Coopafi Fabiano Bortolotto. A reabertura nas quartas-feiras que ocorre entre 16h e 19h irá voltar no dia 1º de março.

Em uma estimativa aproximada, Bortolotto acredita que a feira tenha movimentado valores superiores a R$ 900 mil reais ao longo de todo ano de 2022. Segundo ele, apenas com os vales cedidos pelo Governo Municipal aos servidores públicos, a arrecadação passou de R$ 500 mil reais, sem considerar as vendas em dinheiro para a população em geral. 

Continue Lendo

Agronegócio

Safra 2022/23: início da plantação de arroz traz boas expectativas para a indústria

Publicado

em

Ouça esta matéria

A maioria dos agricultores já começou a semear arroz para a safra 2022/23. Com a fase de plantação iniciada e seguindo pelos próximos meses, previsões de órgãos oficiais vislumbram bons resultados na colheita do ano que vem. Na indústria, as expectativas para a próxima safra são positivas e cerealistas como a Fumacense Alimentos – que produz a tradicional marca Kiarroz – acreditam que não haverá preocupação com a quantidade de arroz a ser produzida.

Conforme estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgada no fim de agosto, ainda que a área cultivada no Brasil deva apresentar uma nova redução na safra 2022/23, a produção ficará em torno de 11,2 milhões de toneladas no país, com a possibilidade de recuperação na produtividade em relação à 2021/22.

E além da quantidade a ser produzida no Brasil, as indústrias também consideram em suas estimativas, o arroz importado, que é cultivado em países vizinhos. “É por isso que acreditamos que a quantidade de arroz não será uma preocupação para a próxima safra. Além do excedente que colhemos na safra brasileira, existe a oferta de aproximadamente 3,5 milhões de toneladas que são colhidas no Uruguai, Argentina e Paraguai”, explica o gerente de Suprimentos da Fumacense Alimentos, Gilberto de Moliner Teixeira.

Novas negociações

Mesmo com negociações mais intensas até o fim da colheita, anualmente realizada sempre no primeiro semestre, a Fumacense Alimentos também mantém contato com os produtores durante o período de entressafra e plantação do arroz.

“Temos agricultores parceiros que, há vários anos, comercializam e depositam o cereal conosco, ou que armazenam o arroz nos silos de suas propriedades e comercializam durante o ano. Mas claro que permanecemos abertos para novos contatos. De forma geral, estamos sempre atentos às movimentações do mercado, buscando as melhores oportunidades de negócios, tanto na compra da matéria-prima quanto na venda do arroz beneficiado”, ressalta o diretor de Operações da Fumacense Alimentos, Jean Alexander Marquardt.

Sobre a Kiarroz

Presente em inúmeros estados e comercializada em milhares de pontos de venda em todo o Brasil, a marca Kiarroz é pioneira e a mais antiga da Fumacense Alimentos. Nas últimas cinco décadas, grande parte da trajetória de sucesso da empresa é creditada à marca, que possui renome nacional e, nos últimos anos, foi reconhecida com inúmeras premiações.

Surgindo junto com a empresa em 1970, a marca oferece o arroz na versão polido, parboilizado integral e parboilizada polido. Além disso, a Kiarroz também dispõe de farinhas à base do cereal nas versões tradicional e integral, indicadas para pessoas com intolerância ao glúten. 

Juntamente com o Criciúma Shopping, a Mark At Place e a JS Empreendimentos, a Fumacense Alimentos – com as marcas Kiarroz e RisoVita – faz parte do Grupo EZOS, um grupo econômico lançado em 2020 com um sistema de gestão inovador, por conta da criação do primeiro Centro de Serviços Compartilhados do Sul catarinense.

Continue Lendo

Agronegócio

AgroPonte encerra com recorde de público e data marcada para 2023

Evento foi realizado durante os últimos cinco dias no Pavilhão de Exposições José Ijair Conti

Publicado

em

Ouça esta matéria

Um sucesso. Assim se resume a 11ª edição da AgroPonte que iniciou na última quarta-feira, dia 17, e se encerrou neste domingo, dia 21. Mais de 70 mil pessoas passaram pelo Pavilhão de Exposições José Ijair Conti, em Criciúma, nos cinco dias de feira. Ao todo, foram 25 mil metros quadrados de feira.

Com mais de 200 expositores, a edição uniu agronegócio, agricultura familiar, indústrias e tecnologia. “Nós conseguimos unir toda a cadeia produtiva dentro de um só lugar mais uma vez. A cada feira nós conseguimos trazer mais novidades e fazer com que seja cada vez maior e mais atrativa. A 11ª edição, com certeza, foi a maior da história em número de visitantes e de negócios. Nós temos apenas a agradecer a todos os envolvidos neste grande evento e, também, aos expositores que acreditaram mais uma vez em nosso trabalho e vieram expor seus produtos e serviços”, comenta o diretor da NossaCasa Feiras & Eventos, responsável pela organização da AgroPonte, Willi Backes.

Já o gerente regional da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Edson Borba Teixeira, ressaltou que mais de 35 empreendimentos de agricultura familiar estiveram participando da feira e diversos produtos como panificados, queijos, embutidos, cachaça, artesanato e alimentação foram divulgados ao longo da feira. “Foi um ótimo evento e tenho certeza que ninguém tem o que reclamar. Foi uma oportunidade de, mais uma vez, fazer uma renda extra e estabelecer contatos e divulgar a marca do empreendimento”, enfatiza.

O gerente regional da Epagri ainda reforça a importância da feira para os próximos meses. “A AgroPonte não encerra neste domingo, isso posso garantir. Os contatos feitos ao longo dos últimos cinco dias oportunizam ainda mais negócios para os agricultores, seja em vendas, em consolidação de marca ou até mesmo para contatos”, observa.

Além dos expositores, a feira contou com programação visando o aprendizado para os expositores. “Neste ano, trouxemos seminários de Avicultura e de Legalização de Agroindústrias Familiares, por exemplo.  Ainda oportunizamos estudos e troca de experiências. Tivemos os tradicionais julgamentos de Bovinos Gir Leiteiro e Bovinos Raça Brahman, rodada de negócios, Manejo de Criação da Raça Crioula e IV Mostra da Raça Crioula e também o 1º Encontro  da Associação Brasileira de Entidades da Meliponicultura (ABREM). Buscamos inovar, mas claro, sempre analisamos o mercado. Foi uma feira que superou as expectativas e que mostrou que podemos mais”, analisa a diretora comercial da NossaCasa Feiras e Eventos, Jaqueline Backes.

Em cinco dias, a feira trouxe bons negócios aos expositores e, ao todo, o evento rendeu ao menos R$ 100 milhões em negócios fechados. “Nós sabemos que durante os cinco dias de evento, tivemos bons negócios. Mas, sabemos que pelos próximos seis meses a feira ainda trará resultados. Ou seja, podemos esperar que este número chegue a pelo menos R$ 200 milhões movimentados a partir da feira AgroPonte”, afirma Jaqueline.

Bons negócios

O proprietário da fazenda Lago Azul, de Jaguaruna, Mauro Coelho, trouxe 15 bovinos, sendo cinco machos. “Dos cinco machos, vendi dois na AgroPonte e três já estão encomendados e no pós feira vamos continuar os negócios, pois vamos receber os compradores em nossa fazenda. É um ambiente tradicionalmente já conhecido por ser bom para negociar e para a economia. Participamos de todas as edições e vamos continuar, pois é muito bom para nós”, reitera.

Neste ano, uma das novidades foi o boi japonês da raça wagyu, que produz aquele que é considerado o bife mais caro do mundo. E, para muita gente, é o mais saboroso. Ele é da fazenda Lago Azul. “Trouxemos para a exposição pela primeira vez e, com certeza, foi um sucesso. Na próxima edição vamos trazer mais para expor na AgroPonte”, adianta Coelho.

A proprietária da empresa Molas Cidade Azul e representante da Recrusul, Juci Gurazi, ressaltou que nunca havia participado de uma feira com a grandeza da AgroPonte e foi surpreendida pelo evento. “Para nós foi surpreendente a motivação dos visitantes e tivemos muito bons negócios aqui na feira. Só temos a agradecer o espaço que foi muito bem trabalhado. Temos que ressaltar as vendas, mas também os contatos que fizemos. O mais bacana da feira foi a busca dos novos fornecedores, pois foi uma troca com outros expositores”, comenta.

Ela ainda afirma que está satisfeita com os negócios realizados na feira. Além disso, informou que pode apresentar todos os serviços da empresa. “Foi um ótimo investimento ter vindo para a AgroPonte. Somos uma empresa com mais de 40 anos e temos mais de 100 tipos de serviços, sendo conhecidos como o shopping dos caminhoneiros. O que ficou evidente na feira é que cada cliente nos conhecia por um determinado ramo e podemos agregar tudo em apenas um local”, observa.

O setor alimentício também colheu bons frutos da AgroPonte. Joanir Antonio João Costa, é proprietário do Quiosque Da Amizade de Criciúma, e participou da feira por meio da cooperativa Nova Vida. “Esta é a sexta vez que participo da AgroPonte e, tenho certeza que foi a melhor edição que já participei. Nossos cálculos serão feitos nos próximos dias, mas acredito que mais de três mil pessoas tenham passado pelo quiosque nos últimos cinco dias”, destaca.

Localizado no bairro Dagostin, Costa projeta que seu comércio tenha ainda mais procura nos próximos meses. “Muitas pessoas conheceram nossa marca e devem nos procurar para visitarem nosso ambiente, ou seja, vamos continuar faturando após a AgroPonte”, enfatiza.

AgroPonte em 2023

A AgroPonte já tem data marcada para acontecer em 2023. “Vamos realizar a 12ª edição de 16 a 20 de agosto. Com certeza, nossa expectativa é aumentar ainda mais o espaço, o número de expositores e trazer ainda mais inovações. Já deixamos o convite para quem nos visitou neste ano, vir novamente na próxima edição e, quem não pode vir em 2022, nos visite no próximo ano”, pontua Jaqueline.

Texto: Rafaela Custódio/Traquejo Comunicação 

Fotos: Rafaela Custódio e Vinícius Alexandre/Traquejo Comunicação 

Continue Lendo

Mais vistos

© Copyright 2007-2023 sulnoticias.com