Conecte-se conosco

Saúde

Alimentação saudável precisa ser praticada dentro e fora das escolas 

Publicado

em


 

A alimentação saudável é um assunto que tem ganhado cada vez mais adesão das empresas, instituições, mídia e da população em geral. A ideia da incorporação de uma dieta equilibrada no dia a dia perpassa fatores como faixa etária. Mas é na infância e na adolescência que a atenção deve ser redobrada, já que o período é marcado pelo desenvolvimento cognitivo. As escolas cumprem um papel essencial nesse processo, uma vez que os estudantes passam boa parte do seu tempo em suas instalações.

A concepção de alimentação saudável no ambiente escolar é uma das preocupações da Sapore, multinacional de refeições corporativas e multisserviços. A companhia atende diversas escolas e implementou em todas as unidades um cardápio saudável e equilibrado, livre de frituras e alimentos processados. A adesão às práticas saudáveis cumpre o papel de auxiliar no desenvolvimento cognitivo dos estudantes.  

Segundo a nutricionista da Sapore, Karina Domenica Di Rico, a adesão de refeições saudáveis deve ser realizada em parceria com os responsáveis do aluno. “Oferecer opções mais nutritivas e saudáveis deve ser uma extensão do comportamento adotado em casa. É fundamental que o colégio tenha essa preocupação, mas a criança ou adolescente ao retornarem ao ambiente familiar precisam manter o rigor com as refeições”, explica.  

Um dos fatores apontados pela especialista é a dificuldade dos familiares em introduzirem e manterem os hábitos saudáveis no cotidiano das crianças e adolescentes. “É fundamental que os responsáveis adaptem as receitas para opções livres de frituras, com preferência para produtos feitos com farinha integral, com menos gordura, açúcar e sódio. Incorporar às lancheiras o suco natural, de preferência de goiaba, abacaxi, acerola e manga, já que são polpas que retém vitaminas por mais tempo, além de frutas variadas e alimentos leves, deve ser uma preocupação consta”, orienta Karina.

“A companhia disponibiliza nas unidades escolares em que atua os lanches saudáveis, que os pais podem contratar, de acordo com a necessidade do estudante. Neste sentido, a lancheira será substituída de forma segura”, explica a especialista, que ressaltou o papel da companhia não só na implantação das refeições, mas também na educação dos públicos de interesse”, finaliza.


  

        

   

Saúde

Arroio do Silva inicia Campanha de Vacinação

Publicado

em

Iniciou nesta segunda-feira (25) em todas as unidades básicas de saúde de Balneário Arroio do Silva a Campanha de Vacinação contra a gripe. Realizada todos os anos, a campanha de vacinação é importante para prevenir casos graves, especialmente na população mais vulnerável, que é aquela prevista nos grupos prioritários como crianças até 5 anos de idade, idosos, gestantes, pessoas com comorbidades/deficiências entre outras.

É necessário comparecer no posto de saúde com documento de identidade e caderneta de vacinação.

Quem pode receber a vacina?

Fazem parte dos grupos prioritários:

– Trabalhador da saúde

– Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias)

– Gestantes

– Puérperas

– Professores do ensino básico e superior

– Povos indígenas

– Idosos com 60 anos ou mais de idade

– Quilombola

– Pessoas em situação de rua

– Profissionais das forças de segurança e salvamento

– Profissionais das Forças Armadas

– Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais

independentemente da idade

– Pessoas com deficiência permanente

– Caminhoneiros

– Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário para passageiros urbanos e de longo curso

– Trabalhadores portuários

– População privada de liberdade e funcionários do sistema de privação de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas

Continue Lendo

Saúde

Início do outono: aumento da ocorrência de alergias e doenças respiratórias

Publicado

em

Antes mesmo do início do outono no Brasil, no próximo dia 20 de março, observa-se um aumento de doenças causadas por vírus e bactérias, sobretudo as alergias e doenças respiratórias. É um tal de garganta “raspando”, tosse seca, coceira nos olhos, nariz congestionado. Dentre as doenças respiratórias alérgicas mais frequentes em todo o mundo, estão a rinite alérgica e a asma. A co-ocorrência destas condições é frequentemente observada em pacientes e a estimativa é que somente a asma afete aproximadamente 339 milhões de pessoas em todo mundo. Estudos prévios descreveram alta prevalência de rinite alérgica e polinose em populações específicas no Sul do Brasil, enquanto a prevalência de asma parece estar dentro da média nacional e internacional.
 

Dados sobre essa temática estão no estudo intitulado “Prevalência de asma, rinite alérgica e polinose em uma cidade do Brasil: um estudo de monitoramento. Alergologia e Imunopatologia”. De acordo com o professor de Medicina Jean Besson, especialista em Imunologia, na maior parte do mundo, mais pessoas são diagnosticadas com asma todos os anos, e vários fatores que contribuem têm sido associados a uma tendência crescente na prevalência da asma. “Dentre eles, um estilo de vida ocidentalizado e a rápida urbanização levam a mudanças no ambiente, mudanças na alimentação, maior permanência em locais fechados, exposição a aeroalérgenos ambientais e outras condições que impactam nas condições de saúde, como doenças alérgicas
.

Nesta época do ano, em que há mudança de clima para temperaturas mais amenas e maior queda de flores e folhas das árvores, além da rinite e da asma, estão a febre do feno (polinose) e bronquite relacionadas à exposição aos alergênico, incluindo poeira, mofo, ácaros e poluentes. “Também podem ser listadas as infecções bacterianas, incluindo amigdalites, otite, pneumonia e sinusites.” Portanto, para os indivíduos que já tenham sido diagnosticados anteriormente com alergias (respiratórias, dermatite atópica ou de contato), devem evitar re-exposições subsequentes aos agentes sensibilizadores das respostas alérgicas. “O sistema imune tende a apresentar respostas amplificadas e nocivas, manifestando sinais e sintomas com espectro variável”, completa o professor.
 

Segundo ele, não existem vacinas conhecidas que evitam o desenvolvimento de respostas alérgicas. Entretanto, a consolidação dos esquemas vacinas, especialmente durante o desenvolvimento pós-natal, favorece a plasticidade do sistema imunológico. “Diante disso, ao realizar a “proteção” contra os agentes etiológicos responsáveis por doenças bacterianas e virais, o organismo é beneficiado e auxilia no controle de doenças “atópicas”. Mesmo aqueles que não apresentam respostas alérgicas, é importante manter a hidratação, a suplementação com vitaminas imunoestimulantes, além de conhecer o histórico de doenças alérgicas e ou respiratórias da família.”
 

Doença autoimune

Poucos sabem, mas uma alergia ou infecção respiratória podem evoluir para uma doença autoimune. “Contudo, existe um fenômeno de capacitação do sistema imune, denominado “tolerância imunológica”. Neste caso, antes de combater os corpos estranhos denominados “antígenos”, as nossas células chamadas de linfócitos devem ser apresentadas ao nosso próprio organismo. Eventualmente, o processo pode apresentar falhas e o nosso organismo reconhece nossas células como “corpos estranhos”, e o sistema imune ataca e destrói nossas células saudáveis. Algumas bactérias, especialmente, possuem componentes proteicos semelhantes aos componentes do nosso organismo, sendo que doenças autoimunes podem resultar da falha decorrente deste processo. Literalmente, o organismo ataca o nosso corpo que compartilha algo em comum com as bactérias, “acreditando” que está livrando o tecido dos microrganismos”, detalha o professor.

Dicas para se prevenir de alergias e doenças respiratórias:

– Manter o controle da hidratação e da umidade relativa do ar;

– Manter a casa higienizada, livre de ácaros, mofo e poeira;

– Evitar locais classificados como “ambientes com poluição elevada”;

– Evitar locais com poluição elevada;

– Realizar a correta higienização dos alimentos.

Continue Lendo

Saúde

Emagrecimento: 6 frutas que ajudam a perder peso

Publicado

em

Quando o assunto é dieta, encontrar opções saborosas que não comprometam o déficit calórico pode ser um desafio. Felizmente, o reino das frutas oferece uma variedade de alimentos nutritivos, muitos deles surpreendentemente baixos em calorias e ricos em vitaminas, fibras e minerais. 

De acordo com a médica Patrícia Santiago, embora todas as frutas tenham seu valor nutricional, algumas se destacam por serem especialmente leves, permitindo que você as inclua generosamente em sua rotina alimentar. Vamos explorar algumas dessas opções que são verdadeiras aliadas na busca por uma alimentação saudável: 

Melão: Com apenas 29 calorias a cada 100g, o melão não apenas é uma escolha refrescante e saborosa, mas também é rico em vitamina C, potássio e betacaroteno. “Esses nutrientes não só contribuem para a saúde da pele, mas também fortalecem o sistema imunológico e promovem a saúde cardiovascular”, afirma Patrícia.

Mamão: Com 45 calorias em 100g, o mamão é conhecido por suas propriedades digestivas, graças à enzima papaína. “Além disso, é uma excelente fonte de fibras, que não só auxiliam no bom funcionamento do intestino, mas também proporcionam uma sensação de saciedade, o que pode ajudar na perda de peso”, acrescenta Santiago.

Abacaxi: Com apenas 48 calorias em 100g, o abacaxi não só é uma fruta tropical deliciosa, mas também é repleto de benefícios para a saúde. “Rico em vitamina C e bromelina, uma enzima que auxilia na digestão, o abacaxi também possui propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, contribuindo para a saúde geral do corpo”, destaca a médica.

Melancia: Com 33 calorias em 100g, a melancia é uma excelente opção para quem busca uma fruta hidratante e pouco calórica. Além de seu alto teor de água, a melancia é rica em licopeno, um poderoso antioxidante que pode ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares.

Morango: Com apenas 30 calorias em 100g, o morango não apenas é uma delícia e fácil de encaixar em diversas receitas, mas também é uma excelente fonte de vitamina C, fibras e antioxidantes. Esses nutrientes ajudam a fortalecer o sistema imunológico, promover a saúde cardiovascular e controlar o colesterol. 

Ameixa: Com 46 calorias em 100g, a ameixa é uma opção doce e nutritiva para incluir na dieta. “Além de ser rica em fibras, especialmente pectina, que auxilia no controle da glicemia e do colesterol, a ameixa também é uma boa fonte de vitaminas e minerais essenciais para o organismo”, diz a especialista.

Embora todas as frutas sejam uma escolha saudável, essas opções de baixas calorias podem ser estratégicas para incluir em sua dieta diária, permitindo que você as desfrute em maior quantidade sem preocupações com o consumo calórico. Lembre-se sempre da importância da variedade e equilíbrio em sua alimentação para garantir uma ingestão diversificada de nutrientes.

Continue Lendo

Mais vistos

© Copyright 2007-2024 sulnoticias.com