Conecte-se conosco

Política

Aplicativos aproximam eleitores a candidatos e políticos

Para conhecer todos os candidatos e candidatas, a propaganda eleitoral, inclusive na internet, está liberada a partir do dia 27 de setembro. De olho neste calendário, partidos políticos e seus candidatos começam a articular as suas estratégias políticas de comunicação e marketing, aumentado a demanda por aplicativos.

Publicado

em

Florianópolis, 16 de setembro de 2020 – A Pandemia do novo coronavírus levou o Congresso a alterar as datas das eleições em 2020, inicialmente programada para outubro. O primeiro turno será realizado no dia 15 de novembro e o segundo, dia 29 de novembro. São esperados mais 147,9 milhões de eleitores nas urnas para escolher 5.568 prefeitos, 5.568 vice-prefeitos e 57.942 vereadores em todo o Brasil, segundo informações da Corregedoria do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

E para conhecer todos os candidatos e candidatas, a propaganda eleitoral, inclusive na internet, está liberada a partir do dia 27 de setembro. De olho neste calendário, partidos políticos e seus candidatos começam a articular as suas estratégias políticas de comunicação e marketing, aumentado a demanda por aplicativos.

De acordo com a pesquisa da Hootsuite com a We Are Social, os brasileiros passam 4 horas e 45 minutos por dia na internet em seus dispositivos móveis. Segundo dados da Adjust, o Brasil é o segundo país que mais cresce em desenvolvimento de aplicativos no mundo. Além disso, 17% dos 23,8 milhões de autônomos do país declararam os aplicativos como principal fonte de renda e 95% dos usuários da internet utilizam aplicativos para se comunicar. 

Ferramenta para transparência e combate à corrupção

Para o CEO da Hugheir Innovations, Augusto Hughes, o objetivo do aplicativo é ser uma solução para aproximar eleitores aos políticos que ganharam o seu voto, além de ser uma forma de aumentar a transparência e fortalecer a democracia, por meio da participação cidadã. “Os aplicativos são uma oportunidade para o político conversar com o seu eleitor, seja por meio de enquetes, para os mesmos votarem naquilo que julgam ser mais urgente, bem como os próprios eleitores darem sugestões de projetos ou até relatarem problemas em sua região. Podem também acompanhar a agenda do político, conferir os projetos de lei propostos, além da execução de projetos aprovados”, sugere Hughes.

E quais são as funcionalidades de um aplicativo de marketing político? Segundo Hughes, o próprio político pode definir, no entanto algumas funcionalidades são mais comuns, como enquetes, biografia do político, espaço para sugestão, agenda política, agendamento de reunião com o político, espaço para críticas, informações sobre projetos de lei, e projetos aprovados do político. “O político poderá mostrar os custos que tem e para onde está sendo destinada a verba arrecadada por meio dos nossos impostos, aumentando a transparência e sendo mais uma forma de fiscalizar e combater a corrupção”, avalia Hughes.

Sobre a Hugheir Innovations

Sediada em Florianópolis (SC) a Hugheir Innovations é uma empresa criada pelo empreendedor brasiliense Augusto Hughes. Há três anos no mercado, escolheu

a capital de Santa Catarina devido ao seu ecossistema de inovação: também conhecida como o Vale do Silício da América Latina, é a região onde se concentra grande parte dessas empresas inovadoras e tecnológicas, tendo 5,6% de sua economia ligada à tecnologia. Empresário no segmento de comércio exterior, construção civil, entretenimento, esporte, economia, finanças, e agora, na área de tecnologia. 

O propósito da Hugheir Innovations é apoiar as comunidades, fortalecendo a economia circular, mostrando às pessoas, principalmente às mais vulneráveis, que é possível empreender e ganhar dinheiro com as novas tecnologias e economias. A Hugheir Innovations é signatária do Movimento ODS Santa Catarina e compromete-se com o alcance da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, uma agenda global assinada por 193 países signatários da Organização das Nações Unidas (ONU), incluindo o Brasil, para a redução da pobreza, o equilíbrio ambiental e o desenvolvimento econômico sustentável.

Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Prefeito de Urussanga retorna ao sistema prisional

Publicado

em

O prefeito de Urussanga, Luis Gustavo Cancellier, retornará à prisão preventiva após ficar em prisão domiciliar desde 17 de maio devido a alegações de problemas de saúde. O Tribunal de Justiça de Santa Catarina decidiu a favor do Ministério Público nesta quinta-feira, determinando que Cancellier cumpra sua detenção na Penitenciária Industrial de Joinville, na área de enfermaria, com garantias de tratamento médico adequado.

Enquanto isso, os vereadores Elson Roberto Ramos e Thiago Mutini, também envolvidos na Operação Terra Nostra, devem ser libertados sob uso de tornozeleira eletrônica mediante pagamento de fiança: R$ 14 mil para Thiago e R$ 56 mil para Elson. Ambos permanecem afastados de suas funções públicas.

A decisão do TJSC destacou que, embora Cancellier apresente problemas de saúde como pressão alta, tais condições não são incomuns entre os presos e são tratadas dentro das unidades prisionais em todo o país. Além disso, o tribunal apontou a escassez de evidências médicas substanciais que confirmem a gravidade da doença alegada pelo prefeito, questionando a veracidade dos laudos médicos apresentados após sua prisão domiciliar temporária.

Durante uma audiência anterior, em 16 de abril, Cancellier negou ter problemas graves de saúde. A decisão também observou que o prefeito realizou poucos exames médicos durante as primeiras semanas de prisão domiciliar, marcando novos exames apenas próximo ao término do prazo concedido.

Continue Lendo

Política

STF descriminaliza porte de maconha para uso pessoal

Ministros ressaltaram a importância de politicas públicas para usuário

Publicado

em

O Supremo Tribunal Federal decidiu, nesta terça-feira (25), pela descriminalização do porte de maconha para consumo pessoal. 

A votação começou com pedido de esclarecimento do ministro Dias Toffoli, que já havia votado na semana passada, mas solicitou complementação. Ele confirmou que é a favor da descriminalização. Para o ministro, é preciso aprimorar políticas públicas de saúde para o atendimento a usuários.

“O meu voto se soma ao voto da descriminalização. O usuário não deve ser criminalizado, deve ser tratado com políticas de saúde pública e socioeducativas”.

O Supremo avaliou a constitucionalidade do Artigo 28 da Lei de Drogas. Para diferenciar usuários e traficantes, a norma prevê penas alternativas de prestação de serviços à comunidade, advertência sobre os efeitos das drogas e comparecimento obrigatório a curso educativo para quem adquirir, transportar ou portar drogas para consumo pessoal.

A lei deixou de prever a pena de prisão, mas manteve a criminalização. Dessa forma, usuários de drogas ainda são alvos de inquérito, assinatura de termo circunstanciado e processos judiciais que buscam o cumprimento das penas alternativas.

Na sequência, o ministro Luiz Fux, votou pela constitucionalidade da aplicação da lei de drogas.

á a ministra Carmen Lúcia, última a votar, se posicionou a favor da descriminalização.

Com a medida, o porte de maconha passa a ser conduta tipificada como ilícito administrativo e não penal, deixando, portanto, de ter consequências neste âmbito, como, por exemplo, ficha de antecedentes criminais. O ministro Luís Roberto Barroso ressaltou, contudo, que a decisão não significa legalização da maconha no país e nem permitir o uso em locais abertos.

Continue Lendo

Política

Progressistas confirma Ademir Magagnin Pré-candidato a prefeito de Cocal do Sul

Publicado

em

Os problemas envolvendo o prefeito Fernando de Fáveri empolgaram os Progressistas de Cocal do Sul. Eles aproveitaram um encontro na última quinta para lançar a chapa de pré-candidatos que pretende disputar a eleição deste ano no município. O Encontro do Progressistas confirmou Ademir Magagnin pré-candidato a prefeito de Cocal do Sul e a vereadora Roseny Cittadin Barbosa, a Nega, como vice-prefeita pelo PSD.

Ademir Magagnin é engenheiro e ex-prefeito de Cocal por dois mandatos. Nega foi professora e se dedica às causas comunitárias e projetos sociais. Ao lado de Nega, Ademir afirmou: “Eu amo o que eu faço. Trabalho com determinação, vontade e zelo com o dinheiro público. Estamos aqui para oferecer uma alternativa de gestão responsável e comprometida com o desenvolvimento de Cocal do Sul. Nosso compromisso é com a transparência, a gestão, participação da comunidade e a busca por soluções que atendam às necessidades da população”, declarou.

Continue Lendo

Mais vistos

© Copyright 2007-2024 sulnoticias.com