Foto - Comunicação/PMC

A música como aliada na luta contra as drogas

Criciúma

De ‘Convite de casamento’ a ‘Fogo e paixão’, o repertório é escolhido por eles. Oito pessoas ligadas não só pelas dificuldades da vida, mas por um amor em comum: a música. Os integrantes da banda ‘Velho Samba’, sete homens e uma mulher, se conheceram no Centro de Atenção Psicossocial para Álcool e Outras Drogas (Caps II AD), do bairro Santa Luzia, há dois anos. Hoje, além dos encontros rotineiros, eles se reúnem toda semana para ensaiar.

Ivonei Pereira Velho, o Ney, é professor de música e criador do projeto. Para ele a valorização é uma das palavras-chave que levam o grupo para frente. “Nós estamos aqui para desenvolver o potencial que eles não conseguem mais ver em si mesmos, a música é esse estímulo que emociona muitos deles”, relatou.

Valorização, essa foi a palavra que fez Ronaldo de Oliveira, de 54 anos, se sentir ‘em casa’ para entrar na banda. “A gente percebe que ainda é importante. Eu não pensava que conseguiria fazer isso sem o uso”, contou o cantor, que participou a vida inteira de escolas de samba e bandas de pagode. Há dois anos, com o incentivo do grupo, canta sóbrio.

A realidade encontrada no Caps é a de muitas idas e vindas, mas a motivação dos profissionais é para que haja um retorno, independente da recaída. “Mesmo que recaia, vem para o Caps. Mesmo com vergonha tem que vir, a gente quer que eles estejam aqui, o serviço está aqui para isso. Quando se para com as drogas, se tira uma sensação de prazer que vai sendo substituída por outras atividades prazerosas, como a música, ocupando um espaço que a droga tirou”, acrescentou o professor.

O Caps

O Centro de Atenção Psicossocial para Álcool e Outras Drogas (Caps II AD), da Prefeitura de Criciúma fica localizado na rua João Batista Rita, no bairro Santa Luzia e atende diariamente 60 pessoas com uma equipe de 17 profissionais.

O Caps II AD é um serviço especializado em atender diariamente pessoas com graves problemas decorrentes do abuso/dependência de substâncias psicoativas oferecendo tratamento por uma equipe multidisciplinar de saúde que atua de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, sem fechar ao meio-dia.

No local são ofertados atendimentos em grupos e individual (inclusive familiares), plano terapêutico de acordo com a necessidade do indivíduo, atividades artísticas e sociais, acompanhamento psicológico e médico, atenção farmacêutica, terapêutica ocupacional, de enfermagem, assistência social e nutricional.