Ada alerta para mais um caso de feminicídio no Estado

Florianópolis

“Quando apelamos para que: em briga de marido e mulher se coloque a colher, sim! É para evitarmos mais vítimas”, disse a deputada Ada de Luca, durante uso da tribuna na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, nesta quarta-feira, 3, citando o caso da advogada Lucimara Stasiak de 29 anos, assassinada em Balneário Camboriú. O corpo da vítima está preso no apartamento junto com o marido, suposto autor do crime. A polícia até o momento está negociando para que ele se entregue e possa ter acesso ao corpo de Lucimara.

“Quero deixar minha revolta por esse homem estar mantendo o corpo dessa mulher preso há mais de cinco dias, tirando o direito de despedida da própria família e amigos. Pura crueldade!”, afirmou a parlamentar. 

Ada de Luca recebeu em seu gabinete nessa semana, a procuradora do Ministério Público Federal, Analúcia Hartmann, a promotora de Justiça de SC, Chimelly Marcon e a procuradora de Justiça de SC, Cristiane Maestri Boell, todas representantes do Movimento Nacional de Mulheres do Ministério Público que apresentaram ideias para combater a violência contra a mulher.

Entre elas, uma iniciativa do movimento para combater a violência contra a mulher desde a primeira infância, o que vem ao encontro do projeto da deputada Ada de Luca, em promover a capacitação de equipes pedagógicas e dos trabalhadores do sistema estadual de ensino, além de campanhas educativas para coibir as práticas de discriminação, atos de agressão, humilhação, intimidação, constrangimento, bullyng e violência contra mulheres e meninas. 

 Ada de Luca enfatizou que tem esperança no futuro através da educação e encerrou dizendo que continuará “na luta contra essa epidemia, aliás, pandemia, que não para de crescer e matar cada vez mais nossas mulheres”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *