“Armar a população não resolve”, afirma Coronel Cabral

Na reserva da PM, o Coronel Márcio Cabral é uma das principais autoridades do Estado quando o assunto é segurança pública. Nesta manhã (24), ele avaliou a proposta do deputado Rogério Peninha para flexibilizar o acesso a armas. Ele elencou uma série de motivos para comprovar que a medida não terá eficiência.

“Não vai resolver nada. Nós tivemos mil furtos, neste caso o morador não estava em casa. Não adiantaria e ainda poderia ter a arma furtada. Nós tivemos 60 assaltos, neste caso os criminosos chegaram em grupo, armados, com colete, rádio comunicador. Dificilmente teria o morador chances de reação. E ainda assim, essa arma vai servir para transformar ocorrências de trânsito ou desentendimentos em situações bem mais graves”, pontua.

O Coronel também entende que usar dados de homicídios nos Estados Unidos para justificar que a arma reduz criminalidade não faz sentido. “Quase 90% dos homicídios do Brasil são de criminosos. De grupos rivais ligados ao tráfico e não de cidadão de bem. Seria bem mais eficiente rever a legislação, endurecer a pena, reduzir a maioridade penal e rever a audiência de custódia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *