Associação Beneficente Nossa Casa realiza a 8ª Feijoada Mágica

Criciúma

Edição de 2020 terá novidades, cumprindo medidas impostas pela pandemia

O feijão e seus acompanhamentos, este ano, não virá num prato, mas numa marmita e entregue diretamente no conforto da casa. As restrições impostas pelo novo coronavírus obrigaram a Associação Beneficente Nossa Casa a se reinventar também. A 8ª Feijoada Mágica, um dos principais eventos realizados para arrecadar recursos, continuará sendo feita, mas de um jeito diferente.

As pessoas que comprarem os ingressos poderão retirar o ‘kit feijoada’ diretamente na Sociedade Recreativa Mampituba ou ainda receberão em casa se fizerem pelo aplicativo “Tô Pedindo” (https://topedindo.com.br/feijoadamagica). A 8ª edição ocorre no dia 12 de julho, a partir das 11h30 até às 13h.  

“Estamos realizando nossa Feijoada de uma forma diferente, já que não haverá o grande almoço, que era uma tradição. Mas estamos preservando pontos importantes, que é o sabor diferenciado, temperado pelo carinho de nossos voluntários”, pondera a presidente da Nossa Casa, Jucelane Barbosa Marques.

A estrutura continuará sendo no Mampituba, que já abrigou o evento em anos anteriores. Ali estará funcionando a cozinha onde “Os Chefes”, o grupo de voluntários que lidera o evento, fará a comida. Além deles, estará montada ainda a entrega dos kits para quem adquirir os ingressos de maneira antecipada.

O valor de cada um é de R$ 25,00, mesmo preço cobrado no ano passado. Cada ingresso dá direito a um kit completo, que leva uma marmita de feijoada e uma com os demais acompanhamentos, como arroz e a tradicional couve refogada.

Quem adquirir o ingresso pela plataforma “Tô Pedindo“, que desenvolveu a interface de forma gratuita para a Nossa Casa, pagará, além dos R$ 25,00 a taxa de entrega.

Os valores arrecadados na 8ª Feijoada Mágica são revertidos em benefícios para a instituição que acolhe crianças e adolescentes em situação de risco social. Hoje, a Nossa Casa está com 16 acolhidos. “Este ano, em virtude da pandemia, não conseguimos realizar bazares e pedágios, que ajudam a equilibrar nossas receitas. O valor arrecadado na Feijoada será fundamental para melhorar as contas”, reforça a presidente. A média é uma perda de receita mensal em torno de R$ 5 mil devido a não realização de eventos externos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *