Banana Bowl: da tradição ao movimento da economia

Criciúma

O maior torneio infanto-juvenil de tênis da América Latina e um dos maiores do mundo. Este é o Banana Bowl que, neste ano, chegou a 50ª edição tendo a Sociedade Recreativa Mampituba como um de seus palcos. A competição, que tem a tradição de revelar grandes nomes do tênis, alcançou importante marca neste ano: foi elevada ao patamar máximo de pontuação da Federação Internacional de Tênis (ITF).

O gerente de Esportes e Eventos da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), Eduardo Frick, destaca que o Banana Bowl é um torneio tradicional, mas tem como característica a inovação. “Sempre buscamos, dentro desta tradição, manter características importantes sem ser conservadores. A gente precisa evoluir. Então, a cada vez tentamos fazer coisas melhores e mais modernas para a molecada. Temos que fazer com que os atletas e os técnicos se sintam bem acolhidos. Chegar aos cinquenta anos é um marco importante para esse torneio que é o maior da América Latina”, diz.

Marcus Bortolotto, diretor de Tênis do Mampituba, lembra que o Banana Bowl está entre os nove maiores torneios juvenis de tênis do mundo e que, por isso, é uma honra para Criciúma receber a competição. “O público que prestigia pode ver um torneio ímpar, que movimenta os melhores tenistas infanto-juvenis do mundo. E a cidade recebe um grande movimento econômico. Os hotéis estão com 90% de ocupação. Os restaurantes registram um ótimo movimento. São aproximadamente mil pessoas circulando por Criciúma durante os seis dias de evento na cidade. Desde atletas e comissão técnica, a pessoas de outras cidades que vem prestigiar o evento”, revela.

O Banana Bowl segue até o próximo domingo, dia 16, no Mampituba. As finais acontecem a partir das 9h da manhã. O evento é aberto ao público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *