Clésio sinaliza rompimento de contrato com a Casan

Florianópolis

Terminou sem acordo a reunião entre o prefeito Clésio Salvaro, o Governador Carlos Moisés e a presidente da Casan Renata dos Anjos. O encontro realizado na capital do Estado teve o contrato entre a Casan e o município de Criciúma como assunto principal. O prefeito reafirmou que o contrato em vigor é ilegal e que pretende assumir os serviços.

“Eu pude comunicar ao governador que nós entendemos que o convênio em vigor é ilegal, pois em contratos entre prefeituras e empresas de economia mista, que tem a participação do Estado e de entes privados, é necessário, com base em decisões do Poder Judiciário, a realização de processo licitatório. Isso não ocorreu quando o contrato entre Prefeitura de Criciúma e Casan foi firmado”, acrescenta o prefeito.

O Governo de Criciúma pode assumir o sistema de abastecimento de água e tratamento de esgoto sanitário no município através do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Criciúma. “Há ilegalidade no convênio com a Casan. Nós estamos trabalhando para lançar um contrato emergencial para tocar o sistema. O município entende que os consumidores não podem continuar pagando tão caro pelos serviços”, finaliza Salvaro.