Comércio catarinense cresceu 6,4% em abril

Criciúma

O comércio varejista restrito em Santa Catarina, que não leva em consideração a venda de veículos, autopeças e material de construção, apresentou alta de 6,9% no volume de vendas em abril, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em relação a março houve recuo de 0,2%. A receita teve variação positiva de 12,9% e de – 0,6%, respectivamente.

No acumulado em 12 meses, o volume cresceu 6,4% e a receita 11,0%. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo IBGE. Segundo o economista da Fecomércio SC, Luciano Córdova, a estabilidade do comércio catarinense nos primeiros meses do ano dão sinais de que a retomada das vendas já perdeu o fôlego.

“Ao longo do ano espera-se que o comércio catarinense mantenha um ritmo estável no volume de vendas, mas o bom desempenho do setor depende das políticas econômicas adotadas pelo Governo Federal, principalmente focadas na redução dos juros e recuperação do mercado interno”, comenta.

O varejo ampliado registrou variação de 7,3% no volume de vendas e 10,8% na receita. Entre os segmentos, os que melhores se saíram foram os de equipamento e material de escritório, informática e comunicação (30,5%); móveis (19,3%) e material de construção (16,1%). Por outro lado, os segmentos que apresentam os piores desempenhos foram de livros, jornais, revistas e papelaria (-9,4%) e eletrodomésticos (-6,2%), na comparação com 2018.

O comércio restrito brasileiro registrou alta de 1,7% no volume de vendas e de 7,1% na receita em relação ao mesmo mês do ano passado. No acumulado de 12 meses, o resultado fechou com alta de 1,4% e 5,2%.