Criada comissão para buscar verbas para o Porto Seco

Criciúma

Uma comissão entre os Poderes Legislativo e Executivo (municipal e estadual), o Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística do Sul de Santa Catarina (Setransc), a Associação Empresarial de Criciúma (Acic) e a Ferrovia Tereza Cristina deve encaminhar nos próximos dias os trâmites para que sejam arrecadados fundos para custear as reformas e pavimentação do acesso ao Porto Seco, em Criciúma. A condução foi dada na audiência pública, que reuniu dezenas de pessoas no auditório do Sest Senat, na noite desta sexta-feira, 25, e organizada pelo Legislativo de Criciúma.

De acordo com o presidente da Comissão de Obras da Câmara de Criciúma, vereador Salésio Lima (PSD), é necessária a junção política e empresarial para que o projeto, que perdura por 20 anos, saia do papel. “Precisamos arrecadar cerca de R$ 6 milhões. Tenho certeza que podemos conseguir unindo forças do empresariado e também por meio de emendas parlamentares, tanto de nossos deputados estaduais quanto dos federais”, apontou Lima.

O vereador Ademir Honorato (MDB) sugeriu, ainda, que a Câmara coloque parte dos gastos com a obra na previsão de orçamento do Executivo para 2020, que tramita na Casa.

Possibilidade de três mil empregos

O presidente da Câmara, Miri Dagostin (PP), reiterou a importância dos investimentos no Porto Seco para a Criciúma. “Temos aqui a possibilidade de, pelo menos, três mil empregos, que significam muito para a cidade. Essa é uma ‘briga’ assumida por todos nós, 17 vereadores de Criciúma, e que, até o final desta Legislatura, vamos fazer acontecer”, acrescentou.

Comprometido com a causa, o presidente da Acic, Moacir Dagostin, avalizou que associação se une por este propósito. “Nós crescemos em mobilidade com a criação da Via Rápida. Agora, é urgente que façamos um distrito industrial e que o nosso Porto Seco funcione. É algo que precisa ser abraçado por todos”, enfatizou.

Economia em infraestrutura

Para o presidente do Setransc, Lorisvaldo Piucco, o porto não é apenas uma necessidade para as empresas de transporte, como também para todo o Município. Segundo Piucco, com a instalação do Porto Seco, Criciúma economiza em infraestrutura. “Dezenas de caminhões deixarão de trafegar todos os dias pelo centro da cidade. Isso significa vias menos deterioradas e, por consequência, mais economia”, garante.

Além deste benefício, o presidente do Setransc avalia o melhoramento social. “Hoje, mais de 20 empresas têm interesse de se instalar aqui. Destas, pelo menos seis indústrias que podem gerar milhares de empregos” repete.

Demandas levadas ao Governo do Estado

O superintendente do Deinfra na região Sul, Gustavo Taufembach, garantiu que as demandas serão levadas à Secretaria de Estado da Infraestrutura e ao governador Carlos Moisés. 

Taufembach defende a importância do transporte intermodal para o desenvolvimento da região. “Esta é uma demanda muito importante para que a região cresça, aproveitando, sobretudo, seu transporte intermodal: rodoviário, ferroviário e marítimo. Temos Via Rápida, temos Ferrovia Tereza Cristina e temos o Porto de Imbituba, que podem gerar juntos mais desenvolvimento. O Porto Seco vem agregar a tudo isso”, acredita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *