Criciúma chega aos 41 focos do mosquito da dengue

Criciúma

A Vigilância Epidemiológica de Criciúma, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), localizou mais um foco do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika virus e chikungunya. Desta vez a larva foi encontrada em armadilha no bairro Vila Isabel, no distrito do Rio Maina, e com essa localização já são 41 focos em Criciúma só em 2020, representando um acréscimo de 410% em relação a todo ano de 2019, quando foram registrados 10 focos nos 12 meses.

“Essa quantidade nos preocupa e acende o alerta para que a população reforce ainda mais os cuidados para evitar água parada. Todos os recipientes que possam acumular água devem ser armazenados de forma adequada ou devidamente descartados”, explicou a médica veterinária do CCZ, Mayara Vieira Tizatto.

Vistorias na região de Vila Isabel

A veterinária explica ainda que os agentes de combate às endemias já iniciaram as vistorias nas residências em um raio de 300 metros de onde o foco foi encontrado, no bairro Vila Isabel. Eles estão identificados com crachá, colete e veículos oficiais.

“A gente gostaria de reforçar o pedido para população atender nossos agentes para que eles possam fazer a vistoria do ambiente e passar orientações. Nas casas de pessoas do grupo de risco à Covid-19, nós não faremos vistorias no terreno, apenas passaremos as instruções à distância ou por interfone, conforme o caso”, ressaltou Mayara, acrescentando que todos os agentes trabalham com os equipamentos de proteção individual recomendados contra a disseminação do coronavirus.

Sintomas das doenças

Se a pessoa tiver febre alta, dor atrás dos olhos, manchas no corpo, dor em articulações e no corpo, deve imediatamente procurar uma unidade de saúde para fazer o diagnóstico. O paciente nunca deve se automedicar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *