Foto - Ney Lopes

Criciúma prepara ação emergência contra alagamentos

Criciúma

Logo após as fortes chuvas que atingiram a cidade de Criciúma nesta quarta-feira (6), a equipe de governo se reuniu para começar a traçar medidas emergenciais para amenizar o impacto da água. Choveu cerca de 52 milímetros em 45 minutos, segundo dados registrados pelos pluviômetros do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). 

Na reunião em que estavam o prefeito Clésio Salvaro, o vice-prefeito Ricardo Fabris, a secretária de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, Kátia Smielevski, e empresas responsáveis pelas obras de drenagem, ficou definido que já na manhã desta quinta-feira (7), equipes da prefeitura iniciam trabalhos de ajuste e reforço no sistema para aumentar a vazão da água. 

“Visitamos os pontos que ficaram alagados como a rua Álvaro Catão, Avenida Centenário e região central e tomamos a decisão de já pela manhã deslocar equipes de trabalho para uma importante intervenção na rua Eugênio de Bona Castelan que sofreu muito com a chuva. Vamos fazer uma ligação num canal existente na rua Araranguá, conduzindo as águas para o Canal Auxiliar”, explicou a secretaria. 

Também nesta quinta, será iniciada a drenagem da rua João Cechinel, em frente ao Hospital São José e, posteriormente, próximo à rua Vidal Ramos. Em virtude das obras emergenciais, a Administração Municipal prevê alguns transtornos necessários e pede compreensão e atenção de motoristas e pedestres.

“Na rua Lauro Muller também vamos fazer uma ligação até o Canal Auxiliar da rua Getúlio Vargas e também na rua São José. Com certeza, outras intervenções vão ser necessárias, e como são todas ruas muito centrais, pedimos a colaboração de todos para que a cidade não passe mais por situações como essa”, alertou Kátia. 

As regiões mais atingidas foram o bairro Paraíso e área central do município, com registros de acúmulo de água nas ruas Arthur Pescador, João Cechinel, Álvaro Catão, João Pessoa e bairros Laranjinha e Santa Bárbara.

“Fizemos acompanhamento em todos os pontos conhecidos por serem de alagamentos e áreas de risco. Seguimos fazendo o monitoramento até que tudo esteja normalizado. Devido ao alto volume de chuva em um curto espaço de tempo tivemos locais que sofreram mais, como o bairro Paraíso, mas felizmente o Canal Auxiliar impediu que o impacto fosse maior na cidade”, complementou o coordenador da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec) de Criciúma, Dioni Borba.