Cruzes missionárias peregrinarão paróquias da Diocese de Criciúma

Criciúma

Terça-feira, 1º de outubro, início do Mês Missionário Extraordinário. Proclamado pelo Papa Francisco especialmente para este mês de 2019, o período será marcado, na Diocese de Criciúma, pelas peregrinações e celebrações especiais com presença das réplicas das Cruzes Missionárias abençoadas pelo Santo Padre na Bolívia, em preparação ao 5º Congresso Missionário Americano, realizado em julho do ano passado. Cada Diocese do Brasil recebeu uma réplica. Na Diocese de Criciúma, 36 delas foram enviadas na noite deste domingo, 29, durante a missa presidida por Dom Jacinto Inacio Flach, na Catedral São José.

Durante sua homilia, o epíscopo ressaltou as quatro grandes características do Papa Francisco. A primeira delas, sua preocupação com a natureza, que resultou na escrita da encíclica Laudato Si e nos constantes apelos que faz para que governantes e toda a humanidade promovam o cuidado e o respeito para com a obra da Criação. A segunda, o desejo de uma Igreja cada vez mais misericordiosa. “O Papa Francisco fala muito do amor e da misericórdia, tanto que ele convocou o Ano da Misericórdia para a humanidade e permitiu que santuários e catedrais tivessem portas santas, que era privilégio de Roma, das quatro basílicas”, disse o Bispo. Como terceira característica, Dom Jacinto apontou o pedido do Papa para que a Igreja volte seu olhar para os pobres e sofredores do mundo. “Ele apresenta grande preocupação com o que está acontecendo no mundo, com tantas pessoas passando necessidades e sofrimentos e lembra que este é um problema da humanidade, dos governantes e de todos os filhos e filhas de Deus, diminuir esse sofrimento que eles passam”.

Uma Igreja Missionária

Como quarto ponto, o de uma Igreja em saída, uma Igreja missionária. “É um Papa muito missionário, que vai a países onde a minoria são cristãos católicos, mesmo enfrentando perigos, muitas vezes. As missões são algo a que o Papa sempre nos convoca. De dez palavras que ele fala, uma, com certeza, se refere à Igreja em saída, uma Igreja mais missionária, que vai longe, que sai. Isto não é só para ouvirmos, mas para também colocarmos em prática. Hoje, diante do pedido do Santo Padre, o mundo inteiro é convocado a se unir e, em nossa Diocese, celebramos o envio da Cruz Missionária. Nós todos somos batizados e temos este compromisso, de sermos missionários”, disse Dom Jacinto ao final da reflexão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *