Derrota, protesto e censura no Heriberto Hulse

Criciúma

O Tigre segue sem vencer um clássico no Campeonato Catarinense. Contra a Chapecoense, diante do melhor público do ano, uma nova derrota. O 1 a 0 para a Chape deixa o Criciúma praticamente sem chances de classificação para o mata-mata do Estadual. O Tigre se mantém com 14 pontos, na sexta colocação. próximo compromisso do Tigre será no domingo contra o Tubarão, fora de casa.

O gol do jogo foi marcado aos 33 do segundo tempo pelo meia Augusto, em um contra-ataque do time do Oeste. O Tigre, que até criou algumas oportunidades, não teve forças para reagir. A partir do gol, da arquibancada ecoaram gritos de protesto contra a direção.

Foi neste momento que o sistema de som do estádio tentou censurar o torcedor executando, no último volume, o hino do clube. Logo após o jogo o profissional freelancer que atua no serviço de som pediu demissão.

Ele relato nas redes sociais que foi orientado pela direção a executar o hino. ” Foi a gota d’água!
Meu amor pelo Criciúma só não é maior que a minha dignidade.
Por conta do acontecido de hoje me desligo do Criciúma Esporte Clube como Freelancer e sigo como torcedor.
Uma ordem vinda de algum setor da direção dizia que em caso de protesto da torcida se deveria colocar o hino do clube.
Logo após o gol sofrido o protesto começou, o telefone tocou para que a ordem fosse executada”, resumiu Renato Teixeira.