Diálogos sobre o Plano de Desenvolvimento são realizados com comunidade e lideranças de Içara

Içara

As reflexões e debates sobre os desafios, as potencialidades e os sonhos para o Sul do Estado chegaram à Içara. Na manhã desta quarta-feira (12/8), lideranças políticas e empresariais e pessoas da comunidade estiveram reunidos com a equipe da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) e do Centro Universitário Barriga Verde (Unibave) para a primeira etapa da formulação do Plano de Desenvolvimento Regional da Amrec. Os encontros desta fase ocorrerão com 12 municípios, ao longo desta e da próxima semana. O objetivo do plano estratégico é levantar o que é necessário para que a região e os municípios tenham um desenvolvimento socioeconômico até 2030.  

Infraestrutura, planejamento, turismo, mobilidade, desenvolvimento, população e empresas estiveram entre as palavras que mais apareceram nos diálogos, que ainda elencaram o que o município carece, o que está bem e o que se deseja para o futuro.

Entre as principais dificuldades elencadas estiveram:

Logística – rodovias de acesso ao município, ampliação da malha ferroviária para reduzir o custo da indústria e para o transporte de passageiros;

Turismo/lazer – implantação do turismo religioso, rural, esportivo e do mel (que estaria esquecido), a falta de hotéis e de um centro cultural multiuso com espaço para exposições, apresentações e eventos e entretenimento ao público;

Meio ambiente – recuperação do antigo lixão de Içara e conscientização da população sobre a necessidade de preservação do meio ambiente;

Infraestrutura interna – melhorias na mobilidade urbana, acesso a escolas básicas e técnicas e problemas na saúde como demora em cirurgias e consultas, com zoonoses e saneamento básico;

Plano diretor – contemplando distrito industrial e porto seco.

Potencialidades levantadas:

Turismo e lazer – eixos voltados ao turismo religioso, para a terceira idade, do mel e agrícola. O município ainda possui 200 hectares de mata nativa e tem potencial para implantação de ciclovias, uma futura rodovia dos trilhos e a rodovia do mar, que liga Içara a Morro dos Conventos.

Plano diretor – complexo industrial, extensão territorial e topográfica favorável, 5 km de via rápida, malha ferroviária e concurso para startups. A plataforma da cidade inteligente também foi citada, com substituição de lâmpadas de sódio por LED, telemetria para medição de consumo de água, câmeras de segurança e ampliação da rede de internet;

Educação – IDH 0,741, educação especial, qualidade na educação básica e gestão ambiental.

Sonhos para o município:

Ser referência em:

Qualidade de vida e cultura – desassoreamento da lagoa Urussanga Velha para poder transitar de barco, Centro de Eventos mais longe do Centro da cidade, um parque de lazer para a família;

Tecnologia –desenvolvimento de um centro tecnológico;

Educação –todas as salas de aula multimídia, investimento em tecnologia, quadras poliesportivas cobertas e ensino médio;

Mobilidade – levar a via rápida até o Balneário Rincão, com um novo acesso, integração de modais, a municipalização da SC 445 para que possam ser feitas ciclovias.

Debates com a participação de todos

A pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Unesc, Gisele Coelho Lopes, afirma que o objetivo dos encontros iniciados esta semana é permitir que todos possam contribuir com o plano estratégico. “Cada um do seu lugar poderá contribuir para este importante projeto coletivo. Esta primeira fase do Plano de Desenvolvimento é muito importante, pois se traduz em uma escuta de pessoas de diferentes segmentos da região que podem ser autores também desta importante iniciativa”.

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon, agradeceu a reitora da Unesc, Luciane Bisognin Ceretta pela sensibilidade de saber que o plano de desenvolvimento não é apenas para cada município, mas para toda a região. “Não adianta a abelha ir bem quando a colmeia não está bem. Quando toda a colmeia é saudável, significa que cada uma das abelhas também é. Temos que olhar para o coletivo também”. Gastaldon aprovou o modelo de reunião realizada e considera que o plano desenvolvido irá servir como embasamento para todos os prefeitos que virão. “O plano de desenvolvimento é essencial e é uma lacuna aberta hoje na maior parte dos municípios”.

Os diálogos contaram com a participação de diversas lideranças do município, além de professores e representantes de entidades e empresários. Para o vice-presidente do Hospital São Donato, Edson Alfredo Castanhetti a oportunidade foi importante, sobretudo, para engajar ainda mais a comunidade em prol do município. “Percebe-se que no coração de cada um nasce a vontade de fazer de Içara uma cidade cada vez melhor. Agradecer a Unesc e Unibave por essa iniciativa que vai fazer com que a Amrec como um todo, cresça e se desenvolva”.

O consultor que faz parte da equipe de elaboração do plano, Roberto Spolidoro, chamou a atenção para o discernimento do município quanto a necessidade de pensar no coletivo. “Existe algo raro no município, que é a consciência de que ele tem muita potencialidade, que está crescendo muito e tem a necessidade de buscar equilíbrio entre o crescimento econômico e a qualidade e vida. Pensando assim, o município se abre para a região. Parabéns Içara pela percepção de que o futuro do município depende do futuro da região”.

Dados para reflexões

Os coordenadores do Observatório de Desenvolvimento Socioeconômico e de Inovação da Unesc, Thiago Fabris e Melissa Watanabe, apresentaram indicadores de desenvolvimento sustentável e de desenvolvimento socioeconômico da Amrec e de Içara.

Foram apresentadas ainda macrotendências mundiais, como intensificação de demanda por alimentos, expansão de entretenimento e turismo, infraestrutura moderna e competitiva, envelhecimento da população e mudança no padrão da produção, para fomentar a reflexão do que o município pode fazer para se beneficiar delas.  

Segundo dados apresentados pelo Observatório de Desenvolvimento Socioeconômico e de Inovação da Unesc, em Içara, componentes do Produto Interno Bruto (PIB) que é de R$ 2.101,908 são: serviços (50%), indústria (31%), administração pública (15%) e agropecuária (4%).

Em Içara, o setor que mais emprega é a indústria, sendo responsável por gerar 7.564 empregos. Ela é seguida pelo comércio, com 4.310 empregos gerados, pelos serviços, com 3.960, construção civil com 602 e agropecuária, com 92. No município, cada emprego formal gerado adiciona em torno de R$ 70 mil à economia – em termos de Amrec, o valor é de R$ 100 mil.

Ainda sobre a Amrec, a equipe da Universidade apresentou dados sobre variáveis que impactam o crescimento econômico da região. Cada R$ 1 pago em despesas públicas gera R$ 7,3. Cada US$ 1 em exportação ou importação contribui para o crescimento econômico de R$ 1,16. Cada pessoa que nasce ou vem morar na Amrec, acrescenta R$ 880 ao PIB. Cada emprego gerado, contribui em R$ 4.572 com o PIB e a principal variável que afeta o crescimento econômico é a educação. Em termos de matrícula no Ensino Médio, cada uma que é efetuada, gera R$ 7.156 ao PIB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *