Domingo de Ramos abre Semana Santa para os Católicos

Mais próximos de celebrar o grande mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, católicos se reúnem, neste fim de semana, para celebrar o Domingo de Ramos da Paixão do Senhor. “Iniciamos a Semana Santa, semana em que celebramos o grande mistério da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor. Domingo, na procissão de ramos, nós nos unimos ao povo que, na época, solenemente entrou em Jerusalém, colocando mantos, palmas no caminho onde Jesus ia passar e cantando ‘Hosana ao filho de Davi’”, comenta o Bispo da Diocese de Criciúma, Dom Jacinto Inacio Flach.

Em todas as igrejas, a maioria das celebrações é marcada por esta procissão, onde também há a bênção dos ramos, precedida pela missa. Nesta ocasião, a Igreja paramenta-se de vermelho, cor do martírio e, no lugar de flores, usam-se também os ramos de oliveira. Seguindo a tradição, as cinzas da próxima Quaresma serão obtidas através da queima desses ramos, que também são incinerados a fim de afastar tempestades e em momentos de insegurança, conforme a tradição mantida por muitos católicos.

“As pessoas queimam, num sinal de que Deus está conosco e de que não precisamos ter medo. É uma tradição muito forte, porque cortaram ramos de oliveira e colocaram onde Jesus iria passar. E onde Jesus passa, deixa bênçãos. Assim, nossos ramos são abençoados e os levamos para nossas casas como sinal de que Jesus ali passou com sua bênção. Podem ser deixados dentro de casa, ou mesmo no carro, como eu, muitas vezes, deixo um raminho. Eles lembram a vitória de Cristo sobre todos os males”, enfatiza o Bispo.

De acordo com Dom Jacinto, o Domingo de Ramos é uma celebração que deve marcar a caminhada do cristão durante o ano todo. “Nós, em nossa fé, continuamos a caminhar com Jesus na nossa vida, no dia a dia, não só no Domingo de Ramos e na Semana Santa, mas durante toda a nossa vida, oferecendo a Ele nosso viver, nossos dons, nossas qualidades, pedindo sempre perdão de nossas faltas e fraquezas. Portanto, o que vamos celebrar no domingo é um grande momento, iniciando o grande mistério da semana mais sagrada e importante do ano, que vai dar sentido para todo o ano na vida do cristão”, explica o epíscopo.

Neste domingo, 25, Dom Jacinto presidirá as celebrações com bênção dos ramos, procissão e missa no Santuário Sagrado Coração Misericordioso de Jesus, às 11 horas, e na Catedral São José, com início na Gruta Nossa Senhora de Lourdes, às 19 horas.

Celebração com gesto concreto de solidariedade

Neste domingo, a Igreja, através da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), promove a Coleta Nacional da Solidariedade. Todas as comunidades são convidadas a este gesto concreto que tem por objetivo apoiar projetos sociais e ações ligadas ao tema da Campanha da Fraternidade deste ano, “Fraternidade e Superação da Violência” e lema “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8).

Todas as ofertas realizadas pelos fiéis farão parte dos Fundos Nacional e Diocesano de Solidariedade. Os fundos são compostos da seguinte maneira: 60% do total da coleta permanecem na diocese de origem e compõe o Fundo Diocesano de Solidariedade (FDS) e 40% são destinados para o Fundo Nacional de Solidariedade (FNS).

Horários de celebrações nas paróquias da Diocese de Criciúma: 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *