Fechamento da JBS: Morro Grande ainda calcula tamanho do estrago

Prefeito de Morro Grande Valdionir Rocha (PSD) convocou reunião de emergência para sexta-feira. Objetivo é encontrar alternativa para o fechamento da unidade de abate de aves da JBS na cidade. “A JBS não fica, mas podemos encontrar outra empresa que opere nesta unidade. Já temos tratativas. Não é oficial, mas estamos trabalhando nisso”, comenta. O prefeito admite que além da queda no retorno do ICMS há um gigante impacto na geração de empregos. “São os 740 empregos diretos e ainda há os indiretos. Ainda estamos buscando os dados, mas é algo preocupante”

Para o responsável pelo movimento econômico da Amrec e que acompanha a movimentação também no extremo Sul, Ailson Piva, o fechamento da JBS vai inviabilizar a gestão pública em Morro Grande. “A empresa representa 85% do retorno de ICMS da cidade, além disso há as 100 famílias de integrados que vão ficar sem renda. Isso é preocupante. No geral, só no ICMS 14 milhões deixarão de circular na região”

Integrante do Sindicato dos trabalhadores da Indústria da Alimentação, Célio Elias relata a preocupação com as famílias que, a partir de outubro, ficarão sem renda. “Do ano passado para cá 500 trabalhadores já haviam perdido a vaga. Agora mais 700. Estamos tentando realocar parte, pelo menos 200, para as unidades de Forquilhinha e Nova Veneza. Também estamos tentando ajudar os avicultores, para que aqueles que tem financiamento possam seguir fornecendo aves. Mas é uma situação dramática. Estamos trabalhando para minimizar o impacto”.