Greve provoca correria a postos e supermercados

A greve dos motoristas tem provocado desabastecimento de postos de combustível, gás de cozinha e esvaziado gôndolas de supermercados. Em Criciúma e municípios da região já há dezenas de postos com as portas fechadas. Nos que ainda resta gasolina, as filas são enormes e o tempo de espera para abastecer é de, no mínimo 40 minutos.

Nos supermercados a correria também é grande. Famílias estão aproveitando para reforçar o estoque de comida com medo que a greve se estenda e as gôndolas se esvaziem gradativamente.

O Procon tem passado o dia orientando a população para que tome cuidado com possíveis abusos. “Nesse momento o consumidor tem que redobrar a atenção para evitar que abusos sejam cometidos. Os preços não podem ser reajustados sem razão e o consumidor não pode ter sua compra limitada. Quem fizer isso vai ser autuado”, avisa o coordenador do Procon Gustavo Colle.

Hoje, em Brasília, uma reunião vai tentar encontrar uma alternativa para a paralisação dos caminhoneiros. Governo já percebeu que a simples retirada da CIDE sobre o Diesel não vai resolver o impasse com os caminhoneiros.