Mais de 20% não pagam contas de água em Morro da Fumaça

No comando da administração do abastecimento de água do município desde abril, o Departamento Municipal de Água e Esgoto registrou inadimplência de 23,3% nas faturas de água até o último dia 31 de julho. O fato já era previsto e diversas ações foram realizadas para que os consumidores quitassem as dívidas, o que ocasionou na queda do número de inadimplentes. “Era um fenômeno que prevíamos porque houve a troca na administração. Inclusive chegamos a imprimir centenas de faturas em atraso diretamente no site da Casan em nossa sede, para consumidores que nos procuraram preocupados com um possível corte”, fala o diretor do Departamento Municipal de Água e Esgoto, engenheiro Rogerio Sorato.

O Município registrou faturamento de R$ 377.879,29 em maio, R$ 366.477,74 em junho e R$ 359.080,74 em julho. Sorato lembra que se não fosse a inadimplência dos valores devidos pela Casan à cidade, pela compra de água em atacado, os valores mensais poderiam ultrapassar os R$ 400 mil. No próximo dia 17 de agosto, o Departamento Municipal de Água e Esgoto inicia os cortes no abastecimento daqueles que estão com débitos de faturas na cidade.

A dívida da estatal, antiga administradora da distribuição de água de Morro da Fumaça, citada por Sorato, se dá porque ela não repassou na totalidade os cadastros comerciais em três localidades do município. “Em Estação Cocal são 21 unidades consumidoras e ainda temos Linha Cabral e São Simão, e também porque o Departamento Municipal de Água e Esgoto trata e distribui água para Rio Vargedo, em Treze de Maio, Esplanada e linha Anta, em Içara e divisa com Criciúma, que são de responsabilidade da Casan, que por sua vez faz a cobrança das faturas”, comenta.

 Sorato lembra ainda que o Município apresentou uma proposta de compra e venda de água em atacado . “Apresentamos à Casan, assim que assumimos, durante reunião com a diretoria comercial em Florianópolis, a minuta do contrato e relatório técnico das áreas em que o município exporta a água à Casan, assim como, os locais onde não recebemos o cadastro comercial, solicitando os ajustes e recebimentos dos valores, algo que não aconteceu até o momento”, cita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *