Morro Albino celebra 100 anos de sua capela

Criciúma

Moradores da região da Quarta Linha se reuniram neste Domingo de Ramos para celebrar sua fé e resgatar parte de sua história.Uma celebração conduzida pelo Bispo Dom Jacinto Inácio Flach marcou os 100 anos da Igreja de São Sebastião. A capela foi construída pelas famílias de imigrantes italianos que doaram o terreno, os materiais e a mão de obra.

A igreja é Patrimônio cultural de Criciúma, tombada em 2004. Na capela, um dos detalhes que mais chamam a atenção são as pinturas do artista Pedro Cechet. Mas não é apenas a igreja que guarda a história da cidade. A estrada de chão batido, chamada de rota do Imigrante, também tem importância histórica. No início dos anos de 1900 era o único acesso entre Tubarão e Araranguá, chamada por muitos de BR 002. 

Neste domingo, parte da história da Igreja e da comunidade foram expostas aos visitantes. Fotos, artigos sacros e roupas usadas pelos padres ao longo dos anos foram apresentadas aos visitantes. A comunidade também aproveitou para mostrar parte do que produz em uma pequena feira.

O evento contou com grande público, descendentes dos primeiros imigrantes, empresários e autoridades politicas. “Evento importante para resgatar a nossa história e para mostrar ela para os visitantes”, lembrou o vereador Ademir Honorato.