Novos encantos marinhos chegaram no Museu de Zoologia da Unesc

A beleza dos mares foi ressaltada mais uma vez na revitalização da exposição “Ecossistema Marinho”, do Museu de Zoologia Professora Morgana Cirimbelli Gaidzinski da Unesc. São 207 novas espécimes em um cenário com baleias, golinhos, peixes, lobos e leões marinhos, pinguins, moluscos e aves que sobrevoam os mares. A reinauguração do espaço ocorreu na tarde desta quinta-feira (28/6), em um cenário totalmente inspirado no fundo do mar. Sob um manto azul, que cobriu o forro do bloco Administrativo da Universidade onde estão expostos os animais marinhos, outra novidade foram os gigantescos peixes robôs, que flutuaram sob o público.

O peixe palhaço e os três tubarões acrescentaram mais brilho ao já encantador mundo marinho apresentado ao público presente, incluindo o presidente da Santur (Santa Catarina Turismo), Valdir Rubens Walendowsky e o coordenador do Sistema Estadual de Museus, Renilton Roberto da Silva Matos de Assis. Para Walendowsky acervos como o da Unesc são fundamentais como fomentadores do turismo regional.

Já o coordenador do Sistema Estadual de Museus, ressaltou a importância do Museu de Zoologia, prevendo a possibilidade de futuras parcerias. “O espaço e as pessoas que contribuem com ele fazem muito por Santa Catarina e queremos que seja uma das rotas dos nossos eventos. O trabalho realizado aqui é uma referência para os museus de todo o estado”, afirmou Matos.

O novo acervo incluiu esqueletos de baleias orca e cachalote, aves, mamíferos, moluscos entre outras espécies, que chegaram ao Museu após encalhes e coletas no litoral sul catarinense. Segundo a professora Morgana Cirimbelli Gaidzinski, que coordena o espaço, a beleza do local traz reflexões sobre cuidados com o meio ambiente. “Criamos esta exposição em um momento que os mares agonizam e repensar é necessário. Nossos espaços são ricos, diversos, belos e de uma triste origem, que nos faz repensar atitudes e buscar meios de educar e preservar o planeta”, frisa Morgana.

A mostra fica aberta permanentemente no hall do bloco administrativo da Unesc, onde também está exposta o maior exemplar do museu, a baleia ade Bryde, um esqueleto com 13 metros de comprimento.

Contribuição para a educação

Com mais de 1500 itens, o Museu de Zoologia da Universidade é um dos mais importantes acervos do país, com significativa contribuição para pesquisas, turismo e educação. Fundado em 2002, por meio de uma parceria com a Policia Militar Ambiental, já recebeu mais de 300 mil pessoas de 793 instituições. A secretaria Municipal de Educação, Roseli de Luca, destacou sua atuação na região e classificou o espaço como indispensável. “É um grande diferencial na nossa educação. Em 2018 já passaram mais de 1.500 alunos por estes corredores. Eles adoram, se divertem e aprendem ao mesmo tempo”, destacou a secretaria.

Além de receber estudantes de escolas de Criciúma e região, a equipe do Museu também contribui com a conservação do ambiente marinho no litoral de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Por meio de monitoramentos, os biólogos catalogam as espécies, zelam pelo melhor ambiente para a fauna local e realizam atendimentos aos animais encalhados.

A pró-reitora Acadêmica, Indianara Reynaud Toreti, também destacou a importância do local para a Universidade. “A Unesc tem como missão criar condições para um melhor viver e o Museu contribui para que cumpramos com excelência. Falar do Museu é falar de trabalho, competência e amor por fazer o bem. Só temos que agradecer por tudo que é feito em nome da Universidade”, afirmou Indianara.