Professor de Criciúma é finalista de prêmio nacional

O professor de Artes da rede municipal de ensino de Criciúma, Marcos Antônio dos Santos, é um dos 21 finalistas da 18ª edição do Prêmio Nacional Arte na Escola Cidadã, na categoria Ensino Fundamental I. Em parceria com os estudantes de Artes Visuais do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PBID), o profissional desenvolveu o projeto “Um ser… Uma adorável criaturinha em busca das suas identidades”. Realizada com a turma do 5º ano da Escola Municipal de Ensino Infantil e Ensino Fundamental (EMEIEF) Ubaldina Rocha Ghedin em 2016, a proposta foi selecionada pelo Instituto Arte na Escola.

A ideia da entidade é reconhecer e qualificar o trabalho de professores de Artes em projetos educativos, visando a ampliação do repertório dos alunos e o comprometimento com a formação cultural, a construção da cidadania e a transformação social. O público-alvo são professores que desenvolveram iniciativas nas linguagens Artes Visuais, Dança, Música ou Teatro.

“Os alunos desenharam seus projetos que posteriormente foram socializados em uma roda para uma seleção de como imaginavam o corpo do ser. As referências de heróis ou personagens conhecidos também apareceram, mas destacamos a autoria nos desenhos realizados. No exercício de imaginação e a construção de como seria o ser”, conta o professor.

Esta não é a primeira vez que Santos concorre a um prêmio nacional. Em 2016, o profissional chegou à semifinal com o projeto “Cinema e as linguagens artísticas”, na categoria Fundamental I. “É gratificante ver reconhecidas as ações significativas realizadas em sala de aula com os alunos”, expressa.

Para a coordenadora pedagógica de Arte da Secretaria Municipal de Educação, Gislene Sala, estar entre os finalistas do Prêmio Nacional Arte na Escola Cidadã é uma grande vitória para a rede municipal de ensino de Criciúma. O Prêmio Nacional contou com aproximadamente 800 trabalhos inscritos.

“Participar de prêmios como este, além de haver o reconhecimento de suas propostas, proporciona ao professor refletir sobre suas práticas pedagógicas na escola, o incentivando a pesquisar e ampliar seu repertório. Estou orgulhosa por ter na rede municipal de ensino professores como o Marcos, atuantes, participativos, sensíveis, que transformam as aulas de Artes em momentos de experimentação e construção de conhecimentos significativos para nossas crianças e adolescentes”, ressalta a coordenadora.