Promotor Gustavo Wiggers detalha investigação do Gaeco

Promotoria deve denunciar presidente de Ong ainda esta semana

Ministério Público de Santa Catarina deve, até o final desta semana, oferecer as primeiras denúncias contra o presidente da Ong Mutiplicando Talentos, que foi alvo de uma ação do Gaeco na última semana. Durante a coletiva concedida na semana passada o Promotor Público Gustavo Wiggers ressaltou que as primeiras denúncias devem ser baseadas no Peculato e também no de organização criminosa. “Mais outras devem ser realizadas com base em todas as informações que estão sendo levantadas no inquérito”, pontou.

A Ong foi contratada pela Secretaria de Justiça e Cidadania para gerir a casa de semiliberdade de Criciúma e Araranguá e o Casep de Tubarão e Criciúma. Os órgãos acolhem e oferecem ressocialização aos adolescentes infratores. Era com o dinheiro destinado a este fim que o presidente da entidade se beneficiava. A suspeita é de que ao longo dos últimos anos, pelo menos 1,5 milhão tenham sido desviados. “Mas o valor pode ser maior, acreditamos que seja maior”.

Além do presidente, outras oito pessoas que colaboravam no esquema seguem detidos. No entanto, os investigadores acreditam que apenas o presidente se beneficiou com o esquema