Quatro são presos por morte de servente

Quatro pessoas, pai e filho, de 56 e 18 anos, além de um casal de 29 e 25 anos, foram presas ontem, temporariamente, acusadas pelo assassinato de Ronaldo João Saraiva, de 41 anos. O crime, registrado no dia 8 de agosto, em Balneário Campo Bom, em Jaguaruna, chamou a atenção pela crueldade. O servente de pedreiro, morador de Sangão, foi encontrado sem os olhos e a língua.

As prisões foram realizadas após cerca de 30 dias de investigação da Polícia Civil de Jaguaruna. Elas foram cumpridas nas cidades de Orleans e Grão-Pará. Em seguida, os quatro acusados foram conduzidos para interrogatório e, posteriormente, encaminhados ao Presídio Regional de Tubarão.

Com o interrogatório, a arma utilizada no crime, uma pá, foi apontada pelos investigados, sendo encontrada nas proximidades do local onde aconteceu o homicídio. O utensílio foi encaminhado para perícia. Ronaldo foi encontrado por populares, sem documentos, atrás de um quiosque, sendo identificado posteriormente pela família.

O corpo também apresentava escoriações na face e aprofundamento de crânio. O homem era viúvo, atuava como servente de pedreiro e estava desaparecido há dois dias. A língua e os olhos podem ter sido arrancados da vítima por algum animal. O morador de Sangão não possuía passagens policiais ou desavenças.

Já os quatro investigados pelo homicídio possuem passagens pela polícia. De acordo com o delegado William Cezar Sales dos Santos, que participou da condução das investigações, a motivação do crime ainda não está definida, pois o quarteto apresentou várias versões para o assassinato do servente.

Willian destaca que as demais informações sobre o crime devem ser apuradas até o final do inquérito e que será solicitada à Justiça a prisão preventiva dos quatro investigados.

 

Informações do Diário do Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *