Foto - Maurício Veira/Secom/SC

Saúde reforça apelo por vacinação contra a gripe

Içara/Criciúma

O Ministério da Saúde decidiu prorrogar a vacinação contra a Influenza até o dia 30 de junho. A decisão foi tomada devido a baixa adesão dos grupos prioritários nas unidades de saúde de todo o país. Em Içara, o resultado não foi diferente e as pessoas destes grupos que ainda não tomaram a vacina, devem procurar as unidades.

De acordo com a secretária de Saúde, Jaqueline dos Santos, muitas pessoas no município ainda não receberam as doses. “Não atingimos as metas nos grupos e mesmo com a equipe de vacinadores indo nas casas de idosos, por exemplo, houve resistência para a aplicação”, explicou.

A vacinação contra a influenza é destinada a pessoas a partir de 60 anos, trabalhadores da saúde, profissionais das forças de segurança e salvamento, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo, portuários, povos indígenas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com deficiência, gestantes, puérperas até 45 dias, adultos de 55 a 59 anos de idade e professores das escolas públicas e privadas.

Dados do Ministério da Saúde apontam que no geral, de todas as etapas, houve uma cobertura vacinal de 61,83%, em que mais de 48 milhões de brasileiros se vacinaram, sendo um total de 77,7 milhões.

Vacinação regular com baixa adesão

Em paralelo as faltas na vacina contra a influenza, o município de Içara também está registrando baixa procura nas vacinas regulares, principalmente entre crianças e adolescentes, realizadas nas unidades de Saúde. “A aplicação das vacinas não pararam, continuam normalmente e registramos baixa procura e todas podem ser feitas nas nossas unidades, aqueles que não estiverem em dia podem correr risco de serem acionados a rede de proteção da criança e do adolescente”, explicou a secretária Jaqueline.

Em Criciúma 

O baixo índice de adesão de gestantes, puérperas e crianças na Campanha Nacional de Vacinação Contra Influenza, em Criciúma, preocupa a Secretaria de Saúde. Para atingir a meta e imunizar as categorias, o município terá agentes comunitários visitando residências no intuito de realizar o monitoramento de pessoas vacinadas e intensificar as informações.

A ação fará parte da segunda etapa da terceira fase da campanha, que já vacinou mais de 42 mil pessoas na cidade. “A baixa procura dessas categorias nos preocupa muito, pois a H1N1 em gestantes principalmente pode causar grandes danos. Não podemos focar somente na Covid-19 e esquecermos de outras doenças que também são perigosas”, destaca a técnica em Enfermagem do Setor de Imunização do município, Kelli Barp Zanette.

Até o fim de última semana, a Secretaria de Saúde de Criciúma havia vacinado 3.210 crianças, sendo que a meta é 14.019, enquanto 628 doses foram aplicadas em gestantes, faltando a realização de 1.503 vacinas, e apenas 31 puérperas das 350 registradas na cidade foram vacinadas. “Os números são baixos e nos preocupam muitos. Estamos intensificando as ações para que as pessoas dos grupos preferenciais da campanha sejam imunizadas”, frisa o secretário de Saúde, Acélio Casagrande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *