Semana decisiva para a relação entre Casan e Criciúma

Criciúma

A relação entre Criciúma e a Estatal tem nesta semana um momento de definição. O prefeito Clésio Salvaro estabeleceu o dia 28, portanto a próxima quinta-feira, como limite para que a empresa se manifeste sobre um pedido feito pela cidade.

Governo de Criciúma quer que a Casan reduza de 100 para 60% o valor da tarifa de esgoto que é praticada na cidade. Alega que tinha um acordo selado com a empresa para receber royalties sobre a exploração do serviço na cidade.

Salvaro afirma que esse acordo não foi cumprido e agora quer transformar os royalties em desconto na tarifa pela população atendida pelo esgotamento sanitário. Se não houver acordo o prefeito ameaça romper contrato e criar um serviço autônomo.

A ação é acompanhada de perto por prefeituras da Amrec que também querem ser beneficiadas. Se a casan ceder a criciúma, outras cidades vão atrás do mesmo benefício. Se Criciúma romper com a casan um consórcio intermunicipal deve ser criado e levar outros municípios, como Içara por exemplo, ao rompimento com a Estatal