Sessão Mirim será realizada em evento de combate ao trabalho infantil

Criciúma

Sabe-se que uma em cada dez crianças catarinenses trabalha. A maior incidência acontece na própria residência, com o trabalho doméstico, na agricultura seja ela familiar ou não e nas comunidades e centro das cidades.

A fim de ampliar a necessidade de conscientização e fomentar o debate a respeito desta temática, a Câmara de Vereadores de Criciúma em parceira da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), o Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região e a Associação dos Magistrados do Trabalho da 12ª Região – realiza a mostra catarinense de desenhos infantis: “Criança não Trabalha, Lugar de Criança é na Escola”. 

O evento será nesta quarta-feira (2/10), no Salão Ouro Negro, na Prefeitura, às 14h30. Na mesma data, além da abertura da mostra, haverá Sessão Ordinária Mirim, também no mesmo local.

O evento contará com a presença do presidente do Legislativo, Miri Dagostim (PP), do prefeito Clésio Salvaro, do Deputado Estadual Sergio Motta – presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente da Alesc-, da Juíza do Trabalho de Criciúma, Janice Bastos- gestora auxiliar do Comitê de Prevenção ao Trabalho Infantil no Sul do Estado, vereadores, e alunos das escolas da região.

A Mostra segue no Paço Municipal até o dia 9 de outubro, recebendo escolas e público no geral das 8h às 17h. A ideia do evento é desenvolver ações educativas e de conscientização relacionadas à erradicação do trabalho infantil. 

A exposição Itinerante já ocorreu nas cidades de Florianópolis, São José, Jaraguá do Sul e Blumenau. Depois de estar em Criciúma o evento segue para Joinville, Tubarão e Caçador, ainda neste ano. Em 2020 o projeto deverá estar na Serra Catarinense e região Oeste do Estado.

A Mostra:

O concurso de desenhos expostos na Mostra contemplou alunos de escolas públicas de 3º e 4º anos, em 12 cidades de Santa Catarina: São José, Araquari, Blumenau, Brusque, Chapecó, Criciúma, Joinville, Lages, Rio do Sul, São Miguel do Oeste, Videira e Xanxerê.

O objetivo é a propagação do conhecimento acerca dos malefícios decorrentes do trabalho precoce e buscando romper paradigmas sobre velhos jargões, o concurso foi também uma forma de levar mais pessoas a refletir sobre o trabalho infantil.

Em cada cidade, as crianças que ficaram em 1ª lugar com seus desenhos ganharam uma bicicleta, uma caixa de lápis de cor e uma bolsa de estudos de inglês e suas professoras ganharam um tablet. As crianças do 2º e 3º lugares receberam como prêmio uma bicicleta e uma caixa de lápis de cor.

O evento surge como um instrumento de sensibilização referente à problemática do Trabalho Infantil que deve ser tratada e debatida diretamente com os sujeitos envolvidos, observada com participação ativa e mediadora das escolas e professores da rede pública de ensino e do Poder Legislativo Estadual e Municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *