Sicredi aponta cinco motivos para poupar em 2018

O Serviço de Proteção ao Crédito, SPC, começou 2018 divulgando uma pesquisa que aponta “juntar dinheiro” como a principal meta dos brasileiros para o novo ano, opção citada por 45% dos entrevistados. Se as intenções de ano novo realmente serão colocadas em prática, será uma questão de cenário econômico e fundamentalmente de educação para o consumo consciente. O certo é que muitos brasileiros que decidirem guardar uma parte dos seus ganhos em 2018, ainda optarão pela poupança. O número de pessoas que têm esse tipo de conta ainda representa 85% da população investidora. Mas, com uma taxa de juros menor, será que esse investimento ainda vale a pena?

O economista e diretor executivo da Sicredi Sul SC, Erli Silveira Lima, afirma que o perfil é fator determinante. “Os poupadores, diferentemente dos investidores, são pessoas preocupadas em fazer alguma reserva financeira para uma eventualidade futura: um projeto ou um sonho. Geralmente é para atender uma demanda que está fora do orçamento e é uma opção para pessoas mais conservadoras”, resume o dirigente. Para os investidores, Lima aponta que a poupança pode ser um caminho interessante para diversificar a aplicação dos recursos. 

Enquadrou-se em alguma dessas situações? Então confira abaixo os cinco motivos listados pela Instituição Financeira Cooperativa, para investir na poupança em 2018:

– Simplicidade: as aplicações e os resgates podem ser integrados à conta corrente do aplicador, tornando a sua movimentação ágil e prática;

– Disponibilidade imediata dos recursos: caso precise, o poupador pode retirar os valores a qualquer tempo, diferentemente de outros investimentos;

– Isenção de imposto de renda;

– Para os casos de poupança em Instituição Financeira Cooperativa, os recursos captados são aplicados na mesma região, promovendo o desenvolvimento econômico;

– Solidez: a modalidade está amparada pelos Fundos Garantidores de Depósitos das cooperativas e bancos. No Sicredi, há ainda a solidariedade entre as cooperativas, que é uma garantia a mais para os associados.