Simpósio reúne as maiores autoridades do Maracujá em Arroio do Silva

Os maiores especialistas sobre a produção de Maracujá Azedo se reúnem na próxima semana em Arroio do Silva. Na pauta um simpósio sobre a variedade que tem agregado valor considerável as pequenas propriedades rurais da região. “Serão palestras que vão mesclar ações para produtores e também para os técnicos da área. Procuramos mesclar bem o tema”, explica o técnico da Epagri Henrique Petry, doutor em fruticultura.

O objetivo do evento é de atualizar tecnologicamente a cadeia produtiva do maracujazeiro do Brasil com conhecimentos técnicos-cientificos, bem como reunir pesquisadores, técnicos e professores da iniciativa pública e privada para a definição de novos rumos na geração e difusão de conhecimento para o produtor de maracujá do Brasil.

Durante estes três dias serão promovidos diálogos entre os participantes, principalmente, sobre as técnicas de cultivo, mercado interno e externo para frutos e produtos industrializados, bem como os desafios para a estabilização desta cultura nas diferentes regiões do Brasil na próxima década.

Com apenas 3% da produção de maracujá do Brasil, Santa Catarina se destaca pela qualidade. “Somos o balizador de preço no verão no Ceagesp. A qualidade do nosso maracujá, chamado por lá de Catarina, é o grande atrativo. Tem mercado garantido”.

Outra vantagem, lembra o especialista, é a relativa facilidade de manejo. “Não é uma cultura difícil de ser administrada e por este motivo ela funciona muito bem como fator para agregar renda e para fomentar a permanência das famílias na agricultura de Santa Catarina”.

O seminário ocorre entre os dias 23 e 25, e informações podem ser obtidas nos escritórios da Epagri

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *