“Temer deve cair e Lula será preso”, afirma Jurista

Michel Temer deve cair. A análise é do Jurista Luiz Flávio Gomes. Em entrevista à Difusora ele afirmou que o país não pode seguir com ele no poder. “Não podemos admitir que um corrupto fique no comando do país”. Apontado como um dos maiores juristas do país, ele avaliou a conjuntura nacional e cravou que Lula também acabará preso.

Ele não tem dúvida que Michel Temer cai e acredita que será via renúncia. “Ele só não renunciou ainda porque acordos estão sendo feitos para se discutir um nome de consenso para comandar o país. A via mais rápida é a da renúncia. Porque se essa situação de instabilidade perdure vamos ter prejuízos gigantes. Temer tem que cair, pode ser via impeachment, cassação ou o Procurador Geral oferecer denúncia contra Temer. Se o Supremo aceitar ele está fora das funções. Certo é que não podemos ser governados por um corrupto”.

Outro que também cairá, para ele, é Lula. “Lula cai, ele vai ser preso. Ele já está enrolado em suas falcatruas. Dilma também. Lula vai ser condenado. Não sei se isso ocorre em segunda instância antes de validar sua candidatura. Se não for será candidato, mas ele será condenado e preso para pagar pelo que fez. Como Maluf, que depois de sessenta anos de roubalheira foi condenado e está perdendo suas funções públicas”

Para ele a Operação Lava Jato destoa de tudo que já foi visto no judiciário Brasileiro. “É um novo modelo de se fazer justiça criminal. Ela está indo muito bem e o ideal seria que muitas lava jatos ocorressem em vários Estados. Os poderosos se julgam acima da lei e acham que podem escapar. Por isso é importante que se apoie a lava jato e a gente veja mais gente sendo punida pela corrupção. A justiça sempre foi lenta no país, a Lava Jato vai no caminho contrário”, comenta.

Na avaliação do Jurista a Lava Jato está longe do fim. “A Lava Jato vai descobrir muito mais coisa e está longe do fim. Ela gera instabilidade e isso passa para a vida do país. Por isso a sensação de que o país parece que vai acabar. Mas é preciso ter consciência que essa é uma situação semelhante a uma operação no coração. As vezes é preciso abrir o peito. Isso causa dor, desconforto, mas depois o você fica bem”.

De olho na eleição do próximo ano, o jurista entende que é fundamental que se procure, ano que vem, novas lideranças. “Mas também é preciso fazer um votofaxina. O que é isso? É tirar da vida pública pessoas que já mostraram que entraram na vida pública e que são criminosos e inescrupulosos. Gente que já mostrou que não serve não pode ser votada. A lava jato não vai pegar todo mundo. É preciso que o eleitor faça sua cidadania vigilante, e expulse os corruptos. Os novos que vamos escolher podem ser bons ou ruins, mas os que estão ai são muito ruins”.