Unesc cria medidas para auxiliar estudantes durante a pandemia

Criciúma

Ciente de seu papel e responsabilidades como comunitária, a Unesc vem tomando frente com diversas ações desde a chegada da pandemia de Covid-19 no Brasil, sobretudo na região Sul. Entre trabalhos como informações diárias, confecção de máscaras para agentes de saúde, produção de álcool em gel para a comunidade, apoio psicológico e o sistema de teletriagem referenciada, a Unesc, neste domingo (29/3), veio a público comunicar-se com a comunidade acadêmica a respeito dos impactos financeiros projetados.

Em vídeo, a reitora Luciane Bisognin Ceretta direcionou o pronunciamento aos mais de 13 mil alunos.

De casa, a gestora da Instituição reitera a importância de ouvir a aqueles de expertise sobre a pandemia que é enfrentada e afirma que a Universidade seguirá, de forma segura, zelando pela qualidade de vida das pessoas diante destes desafios. “Vivemos tempos difíceis, e que não estavam planejados por ninguém. Por isso, peço a vocês, nossos estudantes, sabedoria, equilíbrio e resiliência, para que juntos possamos conduzir com responsabilidades nossas ações e decisões. Não mediremos esforços para encontrar soluções que atendam a aqueles que são nosso maior patrimônio: nossos estudantes”, enaltece.

Diariamente, a Unesc impacta de forma direta a vida de 15 mil pessoas em seu campus. Para além de seus muros, por meio do ensino, pesquisa, extensão e serviços oferecidos à comunidade em parcerias de apoio a prefeituras, quase um milhão de pessoas da Amrec (Associação dos Municípios da Região Carbonífera), Amesc (Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense) e Amurel (Associação dos Municípios da Região) tem suas vidas tocadas pela Universidade.

Criada pelo município de Criciúma, a Universidade não é pública. Sua existência e suas ações são subsidiadas em 98% pelas mensalidades. De seus 13 mil estudantes, 85% são auxiliados com algum tipo de bolsa de estudos, sendo que 55% são subsidiados com recursos da própria universidade. A Instituição também mantém o Restaurante Universitário, importante critério de permanência para o estudante.”A Universidade é grande e sólida, é verdade, mas também sente o impacto do momento vivido. Estamos todos do mesmo lado. Por isso, devemos ser confiantes e abertos ao diálogo. A equipe de gestão está focada e comprometida na elaboração do um plano de contingência, com o objetivo de minimizar os impactos causados pela pandemia. Buscaremos a sustentabilidade de nossa Instituição, para proteger todos que nela depositam sua confiança”, afirma Luciane.

A proposta, ainda em elaboração, deverá flexibilizar o que for possível das mensalidades de abril, maio e junho. Para o mês de março, com pagamento previsto para abril, não será estipulado juros para casos em atraso decorrentes do impacto do abalo econômico, desde que justificados. Nenhuma penalidade por débitos com a Universidade será executada, garantindo a continuidade dos estudos nos próximos meses e semestre, desde que justificados por conta do impacto econômico. “Aproveitamos o momento para solicitar apoio às nossas ações, junto aos órgãos públicos nas esferas estaduais e federais. Defenderemos a atitude de adiantamento dos recursos do Uniedu (Programa de Bolsas Universitárias de Santa Catarina) e o pensamento de um novo Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), explica a reitora.

A Universidade estudará cada caso apresentado pelos estudantes. Para isso, criou um comitê financeiro que receberá as solicitações dos estudantes e analisará, de acordo com a especificidade de cada um.

Tecnologia proporcionará a continuidade das aulas

Um dos mais importantes eixos do desenvolvimento da região é a educação. Medidas, por meio da tecnologia, já estão concretizadas e em fase de implementação para as aulas seguirem.  “Há 52 anos a Unesc oferece ensino de excelência. Pedimos que sigam confiando em nossa expertise. A tecnologia e a inovação estão presentes em nosso DNA e refletidas em todas as áreas do conhecimento. Transformaremos este desafio em uma grande oportunidade de vivenciarmos uma experiência única, segura e que manterá a qualidade atestada pelo MEC (Ministério da Educação) com nota máxima”, destaca Luciane.

Os dias de aula suspensos serão retomados, sem prejuízo ao calendário acadêmico, no mês de julho. A previsão de retorno é o dia 20 de abril. A decisão é assegurada em acordo entre Universidade e estudante e regulamentada pelo MEC, que prevê um plano pedagógico com até 20% de carga horária de forma semipresencial ou por meio do AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem), prevista também no contrato dos serviços educacionais dos estudantes.

“Finalizo reafirmando que a Universidade está aberta ao diálogo, das mais diferentes formas. Agradecemos o respeito, a consideração e o carinho que estamos recebendo diariamente de nossos estudantes. É isso que confere sentido ao desafio de estar à frente de uma grande Universidade como é a Unesc, sobretudo em tempos tão difíceis. Reitero nosso compromisso e solidariedade a todos, não faltarão esforços para sairmos deste momento fortalecidos”, finaliza a reitora.

Acadêmicos reconhecem suporte

O aluno de Odontologia e vice-presidente do DCE (Diretório Central dos Estudantes), Guilherme Strelow, reconhece o período de dificuldades que se apresenta e reafirma a confiança na gestão. “O período é difícil, além de atenção à saúde terá impactos negativos na economia. Sabendo disso, o estudante precisará de todo o apoio necessário. Temos a consciência de que este suporte será dado e que a gestão não medirá esforços para a permanência estudantil. Quem estuda na Unesc sabe da preocupação e responsabilidade desta Instituição para com seus acadêmicos”, afirma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *