“Vereadores foram covardes e vão comprometer a Afasc”, afirma Salvaro

Prefeito Clésio Salvaro não poupou adjetivos para criticar os vereadores que rejeitaram o projeto encaminhado por ele para a Câmara e que transformava a Afasc em uma OS. Para o prefeito a ação foi covarde e de olho em cargos. “Isso é próprio de quem é covarde. Terão que enfrentar a sociedade agora. Enquanto isso não for resolvido não terá mais merenda, os professores não vão receber, não vamos repassar recursos. Eles querem cargos, não tem outra explicação, é pressão política”

Salvaro fez questão de destacar que a Afasc presta serviço há quatro décadas e que o papel social da instituição está ameaçado pela postura dos vereadores. “A Afasc tem 40 anos de história que atende mais de 5 mil crianças, atende idosos, clubes de mães e faz uma série de projetos sociais que são mantidos todos pela prefeitura. Não há qualquer ilegalidade. Essa matéria faz a adequação a Afasc ao marco regulatório nacional. O que se entende é que alguns vereadores querem pressionar o prefeito em busca de espaço aqui e ali. Eles escolheram o projeto errado”.

Para o advogado Alexandre Barcelos João, os vereadores cometeram um equívoco. Na avaliação dele não há qualquer ilegalidade no projeto. “Aliás, o projeto, julgo que seria importante porque modernizaria a gestão. Houve algum equívoco porque a proposta era para adequar a norma federal já referendada pelo Supremo. Imagino que deve ter havido algum equívoco por parte da Câmara”, comenta

Durante entrevista a Difusora o prefeito afirmou que pretende reencaminhar o projeto ainda hoje. No entanto, ele irá esbarrar em um detalhe jurídico. O Regimento da Câmara afirma que, em caso de reprovação, o projeto só pode ser avaliado no ano seguinte. “A menos que o artigo que foi caracterizado como inconstitucional seja retirado”, explica o presidente da Câmara Júlio Colombo. Ele admite que, sem o projeto o governo não conseguirá encaminhar recursos para a Afasc. “Se fizer pode responder por improbidade”

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *