Votos contrários devem barrar reajuste de assessores em Içara

Sem os votos necessários, o projeto que trata da recomposição salarial dos assessores parlamentares de Içara, pode nem ir para a pauta. A intenção de parte dos vereadores era incluir a proposta na sessão desta segunda e garantir a aprovação em segunda votação já na terça. A matéria pretende elevar em dois pisos, cerca de 1,8 mil reais, o vencimento dos assessores. A medida elevaria o salário dos atuais R$ 4,4 para R$ 6,2. A medida tem gerado polêmica na cidade e provocado a ira de entidades organizadas, que já emitiram notas públicas contra a gastança.

Para ser aprovado o projeto precisa de 10 votos favoráveis. No entanto, esta manhã na Rádio Difusora, sete vereadores se posicionaram contrários ao projeto. Confira:

“Desde o início me manifestei contrária a esse projeto. Não é se contra o reajuste, ser contra o aumento. Esse debate é pequeno. Ocorre que esse é o momento inapropriado para fazer esse debate. Se for a votação meu voto é contra”, argumenta Edna Benedet (PCdoB)

“Não é o momento. A Câmara tem problema, o município tem problema. Há dívidas com a população, para melhorar a cidade e isso não deveria estar em pauta agora. Tá bom assim, mais que suficiente esse salário. Voto contra”, afirma o vereador Lauro Nogueira (PT)

“Conversei com meu conselho de mandato. Não é o momento. Entendo que o legislativo não precisa enfrentar este desgaste. Eu voto contra”, pontua Rodrigues Mendes, o Sapinho (MDB)

“Conversei com as pessoas, entendo que não é o momento de aumentar salários. Há muito o que fazer pela cidade. As pessoas não querem essa medida e eu voto contra esse projeto”, destaca Laudo Calegari (MDB)

“Ainda preciso avaliar a tramitação, mas eu voto contra. Não é o momento. Vai gerar um desequilíbrio nas contas da Câmara e elevar os gastos em quase 400 mil”, explica Alex Michels, presidente da câmara (MDB).

“Não é o momento. Voto contra. Eles já ganham um bom salário. Não estou dizendo que eles não mereçam. O assessor tem papel fundamental, mas não é o momento. Tem que dar exemplo. Voto contra”, Silvia Mendes (MDB)

“Já deixei meu voto bem claro aos colegas. Cada um vota como entender mais apropriado, mas neste momento meu voto é contra a medida. Não é o momento de fazer essa recomposição”, Geraldo Baldissera (MDB)

O vereador Toninho de Melo (MDB) foi o único favorável ao aumento que se posicionou. Ele disse que se surpreendeu com a posição de alguns vereadores com relação ao reajuste dos assessores parlamentares. “Houve uma reviravolta de 180 graus. Era um acordo dos 13 vereadores. Só o Lauro e a Marreca que sempre foram contra. Agora eles mudaram de posição”.

Vereador que vai votar a favor, apresentou seus argumentos. “Eles merecem, trabalham muito e precisam. Quando salário foi reduzido fez falta”, questionado sobre o momento o vereador sugeriu cortar salários de todos, inclusive na iniciativa privada. “Salários de vereadores, secretários, prefeito, vice, jornalistas..”. Vereador também defendeu o fim dos 15 vereadores. “Foi um erro, tem que voltar para 11 ou nove”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *