Conecte-se conosco

Economia

Empresários associados a ANET pedem socorro em Nova Veneza

Publicado

em

Ouça esta matéria

Um ano desde o início da pandemia e o retorno à fase vermelha na região da AMREC (Associação dos Municípios da Região Carbonífera) com novas restrições sanitárias contra a nova onda da covid-19 resultou novamente no fechamento de bares e restaurantes que sentem reflexos severos e pedem socorro aos governantes. Agora também fechados aos finais de semana, devido aos novos horários impostos pelo decreto do Governador de Santa Catarina.

Diante das dificuldades, empresários da ANET (Associação Neoveneziana de Turismo), donos de bares e restaurantes e funcionários pedem socorro para poder voltar a trabalhar e manter empregos e os próprios empreendimentos vivos. O setor em Nova Veneza, segundo dados da ANET, emprega 138 pessoas com carteira assinada e 225 extras que trabalham somente aos finais de semana, de forma freelance nos 21 estabelecimentos associados na entidade.

“Infelizmente, a situação é muito difícil, todos os associados possuem empregados para pagar, boletos e aluguéis. Além disso, boa parte dos estabelecimentos funcionam somente aos finais de semana. Pedimos socorro aos governantes, que olhem para o nosso setor. Desde o início da pandemia tivemos que nos reinventar, nos adaptamos ao novo normal, para trabalhar com as medidas necessárias e garantir a saúde pública. Empregamos funcionários com carteira assinado e freelancers todos os finais de semana. Contribuímos ainda com toda a cadeia produtiva, já que a maioria compra produtos da agricultura familiar para os nossos estabelecimentos e faz a economia local girar”, apelou a presidente da ANET, Luana Bortolotto.

A maioria dos produtos utilizados nos restaurantes e bares de Nova Veneza são produzidos por produtores locais como vinhos, queijos, salames, farinha de milho, carnes, ovos, leite, arroz, feijão, frutas, saladas, legumes, entre outros items.

Pressão pela divisão da conta

A presidente está articulando conversas com o governo municipal e estadual para buscar inventivos fiscais e isenção de impostos como forma de estímulo aos empresários do segmento turístico.

Uma das justificativas para as reinvindicações é que os restaurantes são um dos locais com maior controle e fiscalização, com todas as medidas sendo cumpridas desde o início da pandemia como uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento.

A expectativa é que o setor possa obter sobrevida em meio à ampliação do rigor das medidas sanitárias, que fecharam os bares e restaurantes nestes últimos finais de semana para continuarem abertos mantendo funcionários e casas abertas, sem decretar falência.

Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Números efetivam retomada da economia em Criciúma

Publicado

em

Ouça esta matéria

Apesar dos impactos negativos da pandemia na economia, Criciúma vem se restabelecendo neste cenário e apresentando crescimento contínuo na geração de empregos e abertura de empresas. Apenas nos dois primeiros meses deste ano, foram criados 702 novos negócios, um acréscimo de mais de 60% em comparação ao mesmo período do ano passado, de acordo com levantamento da Casa do Empreendedor do Governo Municipal. Houve também, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), um saldo de 867 novos empregos formais gerados em fevereiro.

A expectativa é que esse número cresça nos próximos meses, já que apenas uma empresa de descartáveis, instalada no loteamento industrial Cizeski, na Linha Batista, está ampliando uma de suas duas fábricas e, com isso, pretende gerar aproximadamente 200 novos empregos para Criciúma. “Estamos dobrando a capacidade da nossa fábrica de embalagens para fast-food e delivery agora em abril e queremos contratar em torno de 200 novos colaboradores”, comentou o empresário, Anselmo Freitas.

Segundo ele, apesar das adversidades do momento, iniciativas do Município estão auxiliando o trabalho da empresa e de outras indústrias da região. “Recebemos um apoio muito importante da prefeitura, por meio da pavimentação do condomínio, onde estamos instalados juntos a outras empresas. Essa parceria facilitou muito o acesso e deslocamento”, revelou.

Apoio ao empreendedorismo

O Governo de Criciúma também aplicou uma série de medidas para impedir o fechamento de empresas e estimular a economia local, conforme explica o secretário municipal da Fazenda, Celito Cardoso. “Investimos em melhorias nos condomínios industrias e estamos implantando uma via marginal (parelale à rodovia), entre a Via Rápida e o Porto Seco. Além disso, prorrogamos o pagamento de impostos para os setores mais afetados pela pandemia”.

Continue Lendo

Economia

Sebrae/SC promove etapa catarinense do Brasil Mais para pequenos negócios

Publicado

em

Ouça esta matéria

Chegou a vez dos empresários de micro e pequenas empresas catarinenses aumentarem a produtividade dos seus negócios. Para que elas alcancem melhores resultados e continuem competitivas no mercado, o Sebrae/SC promove o Projeto Brasil Mais, cujo objetivo é aumentar a produtividade das empresas e ampliar a eficiência do setor produtivo e a competitividade do país.

Em Santa Catarina, a meta é atender 13,2 mil empresas, entre micro e pequenos negócios dos setores de comércio e serviços, até 2022. O programa reúne metodologias e ferramentas de baixo custo voltadas para melhorar a capacidade de gestão e de produção, reduzir desperdício e aprimorar processos.

“O Brasil Mais torna-se um aliado do empreendedor no momento certo. Estamos nos restabelecendo de um cenário nacional de crise financeira. Ajudar o empreendedor a otimizar a sua produção para conseguir manter-se competitivo no mercado e conquistar resultados melhores é a melhor diretriz a ser tomada para vencer um cenário que, até bem pouco tempo atrás, não estava tão favorável”, destaca a coordenadora do Projeto Brasil Mais no Sebrae/SC, Camila de Souza Regis.

A Nyce Papelaria e Informática é uma empresa de Criciúma que participou do programa, de novembro de 2020 a março deste ano. A sócia-gerente, Lígia Raquel Gomes Pais, conta que “o meu projeto foi para uma melhor visibilidade da loja em relação aos clientes. O Programa ALI (Agente Local de Inovação) me ajudou a planejar as metas, quais trabalhos realizar, onde e quais profissionais procurar, orçar, enfim, enxergar o que precisava ser melhorado”.

Diego Bif é proprietário da Guarde Mais Self Storage, empresa de Criciúma que trabalha com aluguel de espaços no estilo auto armazenagem e que também participou do projeto. Ele lembra que a maior dificuldade do seu negócio era o marketing e a publicidade, setores que foram o foco do programa, a fim de tornar o empreendimento conhecido e fazer com que as pessoas entendam o tipo de solução que é oferecida.

“A partir disso, com auxílio do ALI, montamos um plano de ação. Realizamos uma série de ações de marketing, como patrocínio em redes sociais, anúncio em rádio, parcerias com influenciadores locais, além de melhorias internas, como comunicação visual e fachada. O resultado foi imediato, com o crescimento das propostas enviadas e, por consequência, a ocupação dos espaços disponibilizados”, afirma Diego.

Como participar

Para participar do programa, as empresas devem se cadastrar por meio do site http://sebrae.com.br/brasilmais. Para isso, será preciso responder um questionário que avalia o grau de maturidade empresarial. Depois dessa etapa, a empresa será encaminhada para o atendimento assistido do Sebrae por meio do ALI. A participação é gratuita e os participantes contam com o benefício de 70% de subsídio nos produtos de Consultoria Especializada e Tecnológica.

Etapas do Brasil Mais

A primeira etapa dessa jornada do Brasil Mais é a otimização. O objetivo é que as empresas atendidas consigam aumentar a produtividade, reduzir desperdícios e melhorar processos e custos. A partir da intervenção, espera-se que as empresas adotem uma gestão baseada em indicadores e, assim, melhorem seu posicionamento no mercado e aumentem suas vendas.

Para isso, a iniciativa capacitará os clientes e fornecerá agentes locais de inovação que farão acompanhamento técnico e ajudarão os empreendedores na escolha de melhores práticas produtivas e gerenciais. O Programa Brasil Mais é uma parceria entre Sebrae, Ministério da Economia, Senai e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Continue Lendo

Economia

Contribuintes podem aprender sobre a declaração de IRPF em curso da Unesc

Publicado

em

Ouça esta matéria

O ano de 2021 trouxe novidades para quem precisa declarar o Imposto de Renda. Novas regras, novos processos e até a inclusão do Auxílio Emergencial podem gerar dúvidas ao contribuinte. Para quem deseja atualizar seus conhecimentos, ou até aprender esta nova competência, o Setor de Extensão da Unesc, aliado ao curso de Ciências Contábeis, oferta a capacitação “Imposto de Renda Pessoa Física na Prática”. As aulas serão realizadas de forma presencial nos dias 17 e 24 de abril.

Os dois encontros realizados, aos sábados, ocorrerão das 13 às 17h30, completando uma carga horária total de oito horas ministradas pelo professor Luan Philippi Machado, professor contador.

Conforme a coordenadora do curso de Ciências Contábeis, Milla Lúcia Ferreira Guimarães, todo o curso é uma oportunidade de aprendizado pessoal e até profissional. “Neste ano o contribuinte pessoa física pode enviar diretamente seu Imposto de Renda à Receita. Assim, o aluno matriculado pode ter a independência de fazer seu próprio processo neste e nos próximos anos, como também estar preparado para fazer pequenos trabalhos”, destaca.

Conforme o professor que ministrará as aulas, a participação no curso é extremamente válida como uma segurança financeira e pessoal, já que declarar fora do prazo ou até com informações equivocadas pode gerar multa. “Ocorre que a grande maioria dos contribuintes desconhecem o detalhamento das informações a serem prestadas ao fisco e muitas vezes acabam declarando dados de forma errada, provocando pendências em seus CPFs. Ainda, quem perder o prazo, não declarar ou se equivocar, vai pagar multa de no mínimo R$ 165,74, mesmo que não tenha imposto a pagar. O valor máximo é o equivalente a 20% sobre o IR devido”, explica.

Inscrições

Qualquer pessoa interessada em aprender pode entrar em contato com o Setor de Extensão para solicitar a ficha de matrícula ou dados sobre o investimento deste e de outros cursos. O número (48) 3431-2570 está disponível para ligações e contatos via WhatsApp.

Dúvidas sobre o IR?

O curso de Ciências Contábeis da Unesc desenvolve o tradicional evento “Imposto de Renda na Praça”, com o objetivo de auxiliar e tirar dúvidas sobre o assunto. Para quem não conseguiu participar neste ano, pontualmente virtual, o Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal (Naf) atua na segunda-feira, presencialmente, e na terça-feira, de modo virtual. O serviço é disponibilizado gratuitamente das 14 às 18 horas e é realizado no segundo andar do Bloco da Centac.

Continue Lendo

Mais vistos

© Copyright 2007-2021 sulnoticias.com