Conecte-se conosco

Geral

Definida Mesa Diretora da Comissão Especial Temporária sobre a ACP do Carvão

Publicado

em

Ouça esta matéria

A Comissão Especial Temporária da Câmara de Vereadores, que acompanhará a Ação Civil Pública (ACP) do Carvão, definiu sua Mesa Diretora. A definição ocorreu na primeira reunião, que foi realizada na tarde desta terça-feira (13), no Legislativo Criciumense.

O vereador Márcio Daros (PSDB) será o presidente da Comissão, que terá como relator Júlio Kaminski (PSL) e Obadias Benones (AVANTE) como secretário. Participam ainda a vereadora Giovana Mondardo (PCdoB) e os vereadores Jair Alexandre (PL), Paulo Ferrarezi (MDB), Manoel Rozeng (DEM), Miguel Pierini (PP), Salésio Lima (PSD) e Zairo Casagrande (PDT). “Sabemos do desafio que teremos pela frente, pois é um assunto muito importante para o município. Vamos analisar de que forma podemos conduzir tudo isso para que no fim possamos ter um resultado positivo”, destacou o presidente.

O relator explicou como será o funcionamento dos trabalhos da Comissão. “Vamos nos inteirar bem sobre o assunto para na próxima semana já termos um debate mais aprofundado. Precisamos entender quais as ações que a gente pode fazer para ajudar”, frisou Kaminski.

O vereador projetou ainda os passos para o próximo encontro.  “Na próxima semana, de posse da ação civil, da documentação, nós vamos poder se situar, e depois disso deliberar quais os caminhos e como vamos tratar sobre esse assunto. É um tema muito forte na cidade e região. O debate é muito relevante por isso”, concluiu o relator.

Os encontros da Comissão Especial Temporária da Câmara de Vereadores, que acompanhará a ACP do Carvão, serão realizados nas segundas-feiras, às 15h.  

Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Geral

“Mitos e verdades sobre a doença de Alzheimer” é tema de encontro na Unesc

Publicado

em

Ouça esta matéria

O grupo Bem Viver com Alzheimer da Unesc prepara mais um encontro aberto ao público. Nesta edição a ação contará com a temática “Mitos e verdades sobre a doença de Alzheimer”. A conversa ocorrerá no sábado (24/09) e será ministrada pela coordenadora do projeto Bem Viver com Alzheimer, Évelin Vicente. O evento iniciará às 10h30 na sala 6 do Bloco XXI-B da Universidade.

Conforme Évelin, o encontro tem o objetivo de conscientizar a sociedade sobre a importância do diagnóstico precoce, do cuidado ofertado e da necessidade de apoio e suporte aos familiares e cuidadores das pessoas que vivem com a doença. 

“Nosso intuito é buscar a melhoria da qualidade de vida dos familiares e dos cuidados, levando informação e capacitação para lidarem melhor com os espectros da doença no dia a dia, além de promover a assistência da pessoa com a doença”, comenta a professora.

O projeto Bem Viver com Alzheimer existe desde 2003 na Unesc com a realização de encontros mensais com conteúdos relevantes sobre a doença. 

Doença 

Estima-se que mais de 1,2 milhão de brasileiros sejam impactados pela doença de Alzheimer, um transtorno neurodegenerativo progressivo e que se manifesta por deterioração cognitiva e da memória, comprometimento progressivo das atividades de vida diária e uma variedade de sintomas neuropsiquiátricos e de alterações comportamentais. 

A perda de memória, perda de noção do tempo, problemas na fala, afastamento dos familiares e da vida social podem apontar o início da doença. 

Continue Lendo

Geral

Presidente do Senado reúne líderes para viabilizar piso da enfermagem

Publicado

em

Ouça esta matéria

Em reunião com líderes do Senado na manhã desta segunda-feira (19), o presidente da Casa, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) apresentou quatro projetos selecionados para tentar viabilizar o piso da enfermagem. A medida – que garantiria o pagamento de ao menos R$ 4.750 para enfermeiros, R$ 3.325 para técnicos de enfermagem e R$ 2.375 para auxiliares de enfermagem e parteiras – foi aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi suspensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF) sob o argumento que os congressistas não apontaram a fonte de recursos para custear os gastos.

Os senadores estimam que o impacto financeiro do aumento salarial será de, no máximo, de R$ 16 bilhões para os cofres públicos. Entre os projetos em análise, o PLP 44/22, de autoria do senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS), é apontado como alternativa mais imediata para tirar a lei do papel. O projeto autoriza estados e municípios a remanejarem recursos parados em fundos de saúde. Se aprovado, o projeto liberaria cerca de R$ 7 bilhões aos cofres públicos.

Vistos como solução no longo prazo, estão sendo estudados o PL 798/21, que reedita o programa de repatriamento de recursos; o PL 458/21, que trata da atualização patrimonial, além do PL 1417/21, que prevê auxílio financeiro emergencial para as santas casas e hospitais filantrópicos.

Para não atrasar muito a solução, propostas mais polêmicas e sem consenso, como a legalização dos jogos de azar e minirreformas tributárias não entrarão no debate. Outra preocupação é com os profissionais que atuam na iniciativa privada. Neste caso, a ideia é desonerar a folha de pagamento da categoria. A expectativa é de que Pacheco se encontre ainda hoje com o ministro da Economia, Paulo Guedes, com o ministro Ciro Nogueira (Casa Civil) e com Célio Faria (Secretaria de Governo) para discutir as propostas apresentadas. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), também deve sentar com o presidente do Senado na tentativa de destravar o piso. Amanhã, Pacheco também deve se reunir com a presidente do STF, ministra Rosa Weber, para tratar do assunto.

Ainda durante a reunião, o líder da minoria na Casa, Jean Paul Prates (PT-RN) apresentou uma proposta para que as emendas de relator, as RP 9, sejam utilizadas para custear o piso para os servidores municipais e estaduais da categoria. Na avaliação de Prates, a medida é a solução mais rápida para o impasse.

Continue Lendo

Geral

Educação municipal de Içara conquista a primeira colocação do IDEB na região carbonífera 

Publicado

em

Ouça esta matéria

As escolas municipais de Içara conquistaram a primeira colocação da região carbonífera no resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB 2021.  A divulgação foi feita pelo Instituto Nacional de Estudos e de Pesquisas Educacionais (INEP), nesta sexta-feira (16). 

Os números apontam Içara com o primeiro melhor índice tanto nas séries iniciais (1ª a 4ª), com nota 6,9; quanto nas séries finais (5ª a 8ª), nota 6,0 . Na média geral, o município obteve a nota 6,45 subindo o índice da última edição do IDEB, realizado em 2019, quando a nota foi de 6,35.

“O resultado da avaliação do IDEB é uma conquista de todas as escolas que – na união de pais, professores e alunos – conseguiu melhorar significativamente a qualidade da educação no nosso município”, destacou orgulhosa a prefeita Dalvania Cardoso.

Já a secretária de Educação, Ciências e Tecnologia, Rose Reynaud, salienta que os números são bastante expressivos principalmente por ser conquistado em pleno período pandêmico. “Ao assumirmos o governo, em 2021, nosso primeiro passo foi fazer um diagnóstico dos alunos da rede devido à pandemia. Já no segundo semestre do mesmo ano iniciamos as aulas de reforço não apenas para a recuperação de notas, mas, principalmente, da aprendizagem. O resultado do IDEB, de fato, retrata o esforço que foi feito nesse sentido”, comemora Rose assinalando a emoção de toda a equipe ao conhecer o resultado. As provas do IDEB foram realizadas no final de 2021.

Para chegar aos resultados apontados pelo IDEB, o Ministério da Educação analisa aprovações, reprovações, evasões escolares e as notas da Prova Brasil, com as disciplinas de português e matemática. A avaliação é feita a cada dois anos.

Continue Lendo

Mais vistos

© Copyright 2007-2022 sulnoticias.com