Secretaria Estadual da Saúde desestimula lavagens de ruas e alerta sobre estiagem

Criciúma

O Governo do Estado não estimula os municípios a realizar lavagens para higienizar espaços públicos. Segundo infectologistas, a eficácia é muito reduzida no combate à transmissão do vírus. Caso o município insista na medida, a sugestão é do uso de água pura ou mistura com hipoclorito de sódio a 2,5%.

Além disso, é importante ressaltar que o estado está em época de estiagem e as medidas de conscientização para economia de água devem ser adotadas. Durante entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira, dia 23, o secretário de Estado da Saúde, Helton Zeferino, sugeriu alguns cuidados com relação a essas medidas.

O primeiro cuidado refere-se ao uso de produtos químicos. Segundo parecer da Superintendência de Vigilância em Saúde da SES há receio de que alguns produtos poluentes estejam sendo utilizados nestas limpezas. Esses produtos podem escorrer para as redes pluviais e gerar a contaminação ambiental dos cursos d’água. Por isso a recomendação de que um eventual produto a ser utilizado seja água pura com hipoclorito de sódio a 2%. “Além disso, é um custeio a maior e resultado prático muito pequeno”, disse Zeferino.

A outra preocupação é com relação ao uso de jatos d’água compactos. “A nossa recomendação é que sejam feitas limpezas por pulverização, e não com jatos compactos”, disse. Segundo o médico, os jatos podem provocar a formação de aerossóis que, por sua vez, podem transmitir alguns patógenos à população do entorno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *