Conecte-se conosco

Polícia

PF deflara operação contra à disseminação de pornografia infantojuvenil na internet

Publicado

em

Ouça esta matéria

Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (17/9) nova fase da Operação P2J (Pedo to Jail), com o cumprimento de um mandado de busca e apreensão, expedido pela 1.ª Vara Federal de Criciúma/SC, em um imóvel localizado na cidade de Araranguá/SC. 

As investigações foram iniciadas a partir de relatório apresentado pelo NCMEC (National Center for Missing and Exploited Children), que reportava o armazenamento, disseminação ou divulgação de conteúdo alusivo a abuso sexual infantojuvenil, promovido por um usuário de uma rede social.

Com o aprofundamento das investigações, foi identificado que o suspeito, de 21 anos, estaria utilizando a rede social para compartilhamento dos arquivos com outros usuários, inclusive de outras nacionalidades. 

Nesta manhã foi realizada a apreensão de equipamentos de informática, celulares e mídias de armazenamento. Todo o material apreendido será submetido a perícia, com foco na comprovação dos crimes investigados, identificação de possíveis abusadores sexuais e suas vítimas, bem como na busca de informações que possam indicar o envolvimento do suspeito com os crimes de produção de pornografia infantil e estupro de vulnerável. 

As ações têm por escopo auxiliar forças tarefas internacionais na luta pela erradicação de materiais contendo cenas de abuso e exploração sexual infantil na internet e contam com apoio de organismos internacionais como a NCMEC.

O crime de compartilhamento de arquivos de pornografia infantil, previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente, é punido com pena de reclusão de 3 a 6 anos. Já o crime de posse de arquivos de pornografia infantil, tipificado no mesmo estatuto, é punido com pena de reclusão de 1 a 4 anos. 

Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Operação Hefesto tem desdobramentos e mais prisões

Publicado

em

Ouça esta matéria

Sete de nove integrantes de suposta organização criminosa desbaratada pela Polícia Civil que utilizava um CTG em Morro da Fumaça como abatedouro clandestino foram presos preventivamente a pedido do MPSC, a fim de impedir a continuidade da prática criminosa e resguardar a instrução processual. Os outros dois réus já haviam sido presos preventivamente no curso da operação O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve a prisão preventiva de sete integrantes de uma suposta organização criminosa que operava um abatedouro clandestino em um centro de tradições gaúchas no Município de Morro da Fumaça, desbaratada pela Operação Hefesto, deflagrada pelo Delegado de Polícia Ulisses Gabriel em 16 de setembro deste ano.  

A prisão preventiva foi determinada pela Justiça ao receber ação penal apresentada pela 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Urussanga, que pediu a medida com intuito de evitar a reiteração da prática criminosa e preservar a instrução processual.

Na ação, nove réus foram denunciados por fazerem parte de organização criminosa e pela prática de crimes contra as relações de consumo. Dois dos réus foram denunciados, também, por crime contra o meio ambiente.  
Dos nove acusados, dois já haviam sido presos preventivamente no curso da operação. Os mandados de prisão requeridos pela Promotoria de Justiça contra os outros sete integrantes da suposta organização já foi cumprido pela Polícia Civil.

Conforme relata a Promotora de Justiça Juliana Ramthun Frasson na ação penal, a suposta organização criminosa agia no CTG, localizado no interior do Município de Morro da Fumaça. O grupo seria liderado pelo proprietário do CTG e por seu filho, que também eram os responsáveis pelo contato com os fornecedores de animais.
Ali, eles promoveriam o abate e venda de produto de origem animal clandestino e impróprio para o consumo – especialmente carne de bovinos furtados e equinos. Durante a operação, a Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar e da CIDASC, apreendeu cerca de 520 quilos de carne, drogas, cinco armas, diversas munições, cheques e dinheiro.
Segundo a ação penal do Ministério Público, os demais integrantes tinham funções definidas dentro da organização: da receptação dos animais, abate e fracionamento, revenda, entrega e financeiro.  

Com o recebimento da ação penal, todos os acusados se tornam réus e terão, no curso do processo, amplo direito à defesa e ao contraditório. Os nomes dos réus não é divulgado em função da ação estar em segredo de Justiça.

Continue Lendo

Polícia

Civil prende adolescente envolvido em assassinato

Publicado

em

Ouça esta matéria

Um jovem de 13 anos foi apreendido pela Polícia Civil nesta quarta-feira. Ele é acusado de envolvimento no assassinado de Claudemir Vicente, executado com 17 facadas em julho deste ano no bairro Quarta Linha.

O adolescentes foi localizado em casa, no bairro Quarta Linha e em seguida encaminhado para internação no CASE. Ele teria cometido o crime com um outro homem, já detido, e uma feminina que segue foragida da justiça.

Continue Lendo

Polícia

Mulher é amarrada e amordaçada em assalto no Rincão

Publicado

em

Ouça esta matéria

Uma mulher foi amarrada e amordaçada por criminosos nesta terça-feira durante um assalto registrado no Balneário Rincão. A vítima relatou a PM que estava em casa, assistindo televisão, quando percebeu um carro parando em frente a casa do vizinho.

Ela contou que em seguida dois homens pularam o muro do vizinho e em seguida o seu. Em seguida ela acabou rendida por um dos elementos, que estava armado. A vítima foi amarrada com o fio do carregador do celular, teve a boca amordaçada e foi trancada no banheiro.

A dupla fugiu levando 750 reais em dinheiro, jóias e outras objetos de valor. Depois da fuga dos criminosos ela conseguiu tirar a mordaça e gritar por socorro. A polícia agora investiga o caso.

Continue Lendo

Mais vistos

© Copyright 2007-2021 sulnoticias.com