Polícia apura venda de certificados falsos em Lauro Müller

Lauro Müller

A partir de inquérito policial instaurado na Delegacia de Polícia de Lauro Müller, cujas investigações foram iniciadas pela delegada Juliana Freitas Zapelini, é apurado o fato de que uma mulher, funcionária pública estadual da educação, estaria produzindo e vendendo históricos e certificados escolares falsificados de escola estadual por R$ 800,00. Ainda, que estaria produzindo trabalhos escolares para alunos por R$ 50,00 com apoio de outra pessoa, sendo identificado um de seus clientes.

No decorrer dos trabalhos foram ouvidas testemunhas que indicaram a possível prática dos crimes de falsificação dos documentos, citando uma das testemunhas que nunca estudou na escola Engenheiro Ernani Cotrin – em que pese ter sido produzido um histórico escolar em seu nome como se aluno da escola fosse. A polícia descobriu também que um ex aluno da escola estaria oferecendo certificados escolares para venda, fato este também corroborado por outra testemunha.

Após manifestação do Ministério Público favorável, o Judiciário de Lauro Müller decretou as buscas, cumpridas na manhã de hoje. Segundo o delegado Ulisses Gabriel, em exercício em Lauro Müller, foram cumpridas buscas nos endereços dos investigados para a produção de prova e busca e apreensão na Escola Básica Engenheiro Ernani Cotrin, no Distrito de Guatá, onde a funcionária teria acessado os sistemas do Estado para inserir dados falsos.

A operação apura crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e inserção de dados falsos em sistema informatizado da administração pública. Leva o nome de Fictum Libellum, que em latim significa documento falso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *