Conecte-se conosco

Economia

Que Barbada agora é Favorito

Aplicativo catarinense para busca de estabelecimentos de gastronomia e entretenimento readéqua sua marca após um ano de gestão e contabiliza mais de 60 mil usuários em nove cidades

Publicado

em

Inovar é estar em constante expansão, aprimorar, pesquisar. Muitas vezes, a mudança no meio do caminho é fator necessário para o sucesso. Imagine utilizar uma página de busca na internet chamada Backrub? Pois é. Este era o nome do Google até 1996. Já para os nascidos nas décadas de 70 e 80, o creme dental mais famoso era o Kolynos, hoje conhecido com o nome de Sorriso. Pensando na evolução da marca e em uma estratégia de marketing que agrade todos os públicos e culturas do país a Startup catarinense “Que Barbada” agora é “Favorito”. A plataforma, que entrou em atualização neste mês, traz ainda novidades com a expansão da marca também no Paraná para Cascavel e Balneário Camboriú, conectando pessoas aos seus novos lugares favoritos.

Com pouco mais de um ano em funcionamento, o agora Favorito, conta com mais de 60 mil usuários em nove cidades. Jaraguá do Sul, Joinville, Criciúma e Blumenau, em Santa Catarina. Porto Alegre e Lajeado, no Rio Grande do Sul, e ainda este ano estará em Balneário Camboriú (SC) e Cascavel, no Paraná. O app já ocupa lugar de destaque entre os mais baixados na apple store da categoria gastronomia, chegando a 26º lugar no ranking.

“A tecnologia está integrada em tudo e na gastronomia não é diferente. Nosso aplicativo é uma ferramenta para facilitar a vida do empresário que precisa divulgar seu estabelecimento e do usuário que tem um leque de opções na palma da mão”, explica o CEO da empresa, Cristian Macan.

Mudar é preciso

Há quem diga que não se mexe em time que está ganhando, mas no caso do Que Barbada, repensar o nome da empresa foi uma decisão que contou com a ajuda de especialistas que entendem do assunto. De acordo com os empreendedores, o nome Que Barbada – uma gíria típica para os catarinenses – soava estranho no Rio Grande do Sul, pois era associado a outra empresa de baixa reputação. Já em outros estados, necessitava de muita explicação para o nome do aplicativo, o que dificultava na venda do produto.

“Já estamos expandindo para diversas cidades do Brasil e o nome Que Barbada não aderiu com a mesma facilidade que em Santa Catarina. Estávamos sendo confundidos até com marca de aparelho para barbear. Então, pior do que não comunicar com o seu alvo é comunicar o que você não quer. Então decidimos optar por essa troca de marca”, revela Macan.

Os fundadores acreditam no poder das experiências para conectar pessoas e lugares. De acordo com a dupla de sócios, cada estabelecimento, seja um café aconchegante ou um bar animado, é um universo único, repleto de histórias, vibrações e momentos que merecem ser vividos e compartilhados. “Reconhecemos que cada local tem sua própria essência e magia. Por isso, nos dedicamos a fornecer as ferramentas e recursos necessários para que cada espaço alcance seu potencial máximo, criando experiências autênticas e memoráveis para seus visitantes. Nós realmente conectamos pessoas aos seus lugares favoritos, e aí veio a ideia do nome”, detalha o sócio Gabriel Moresco.

Sebrae e Acate impulsionaram os negócios

A trajetória de Cristian e Gabriel contou com apoios importantes desde o início do projeto. O sonho saiu do papel efetivamente quando a dupla conquistou o prêmio de melhor pitch no programa Nascer da Fapesc e não parou por aí. Graças ao apoio do Sebrae, a empresa foi expositora no Startup Summit 2023 ganhando notoriedade nacional. A novidade mais recente é que agora, o Favorito está seguindo a metodologia MIDTEC, o que deverá impulsionar a startup para todos os estados até o fim de 2024.

Economia

Dados da Pnad: desemprego cai 7,1% no último trimestre

Publicado

em

A taxa de desemprego no país caiu para 7,1% no trimestre encerrado em maio; esse é o menor índice para o período desde 2014, segundo o IBGE. A taxa de desocupação recuou 0,7 ponto percentual na comparação com o trimestre de dezembro a fevereiro de 2024. Também houve queda na comparação com o mesmo trimestre de 2023, de menos 1,2 ponto percentual.

As informações foram divulgadas nesta sexta-feira e fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad)  

A população desocupada, ou seja, as pessoas que não tinham trabalho e buscaram por uma ocupação no período da pesquisa, também diminuiu: menos 751 mil pessoas no trimestre e menos 1,2 milhão de pessoas no ano. Dessa forma, o contingente de desocupados chegou a 7 milhões e oitocentos mil, o menor número de pessoas em busca de trabalho desde o trimestre encerrado em fevereiro de 2015.  

A PNAD Contínua também mostra que o total de trabalhadores do país atingiu novo recorde da série histórica iniciada em 2012: chegou a 101,3 milhões de pessoas ocupadas.

A coordenadora da pesquisa, Adriana Beringuy, explica que diversas atividades econômicas retiveram trabalhadores, e que a criação de vagas no setor de educação é um dos destaques do trimestre móvel encerrado em maio, na comparação com o trimestre imediatamente anterior. 

A PNAD Contínua é a principal ferramenta de monitoramento da força de trabalho no país. A amostra da pesquisa por trimestre no Brasil corresponde a 211 mil domicílios pesquisados. 

Continue Lendo

Economia

Oportunidade: Governo de Cocal do Sul promove vitrine de empregos nesta sexta

Publicado

em

Diversas oportunidades de trabalho serão oferecidas nesta sexta-feira (28), na Praça Coberta. A Vitrine de Empregos irá ocorrer das 8h às 12h, atendendo o público, divulgando as vagas que estão disponíveis nas mais variadas áreas no mercado de trabalho, com a presença de empresas participantes e equipe da Secretaria de Ação Social.

“Tendo em vista que muitos estão à procura de emprego e que há empresas com vagas disponíveis, estamos promovendo essa ação todo mês na Praça Coberta, como forma de fomentar a geração de empregos e fazendo os encaminhamentos ao mercado de trabalho, para quem sabe já saírem dali empregados”, pontua o secretário de Ação Social do município, Geraldo Echeli.

As empresas parceiras irão disponibilizar vagas de emprego em diversas áreas, voltadas a pessoas com todos os níveis de instrução. “A Vitrine de Empregos tem dado muito certo, as empresas aproveitam essa oportunidade para buscar talentos para o mercado, em busca também de qualificação; vamos fazer essa engrenagem chamada economia girar”, finaliza o secretário.

Continue Lendo

Economia

Farinhas típicas de diferentes regiões do Brasil ganham espaço no Sul catarinense

Publicado

em

Criar conexões emocionais e sabores familiares. Este foi o objetivo da empresa Rocha Alimentos ao lançar, recentemente, sua nova linha de farinhas brasileiras. Entre as variedades apresentadas ao mercado, a amarela grossa está sendo produzida pela primeira vez em Santa Catarina com as mesmas características da tradicional farinha nortista. Além dela, a extrafina e a estilo biju também integram a linha, proporcionando a chance de redescobrir sabores regionais do Brasil. A ideia, de acordo com a empresa, é oferecer produtos que remetam a memórias ou a lembranças de infância, especialmente àqueles que moram longe de sua terra natal. 

O gerente de Inovação e Desenvolvimento da Rocha, Felipe Bortoluzzi, conta que somente nos dois últimos meses, a marca lançou oito novos produtos, incluindo uma linha diversificada de grãos (pipoca, canjica branca e canjiquinha), farofa premium e farinhas. Este movimento estratégico visa atender às crescentes demandas dos consumidores por praticidade e diversidade na cozinha. “Cada produto é resultado de um rigoroso processo de seleção de matérias-primas e desenvolvimento tecnológico, garantindo sempre a melhor qualidade”, explana.

Além da busca por fornecedores premium, a empresa investiu em pesquisa e tecnologia para os novos lançamentos. A embalagem da farofa premium, por exemplo, foi desenvolvida utilizando Inteligência Artificial, aliando estética e requisitos técnicos. “O shoper pode visualizar o produto dentro do pacote já no ponto de venda, dando início à sua experiência de consumo ali mesmo”, conta Felipe. As embalagens das farinhas também são diferenciadas. “Demos a elas um toque caseiro e de mercearia, que remete à comida da casa da vó, a afeto e carinho. O resultado ficou lindo”, evidencia.

Continue Lendo

Mais vistos

© Copyright 2007-2024 sulnoticias.com