Conecte-se conosco

Tecnologia

Sicredi Sul SC apresenta aplicativo “Conecta” para incentivar o comércio entre associados

Publicado

em

Ouça esta matéria

Criciúma

As mudanças sociais e econômicas provocadas pela pandemia do coronavírus (COVID-19), fizeram dos chamados marketplaces on-line, uma alternativa para as empresas e empreendedores diversificarem seus canais de venda, manterem seus negócios e equilibrarem as suas finanças. Nesse contexto, a Sicredi Sul SC, uma das 110 cooperativas pertencentes ao Sicredi, apresenta nesta segunda (27), o Sicredi Conecta. O aplicativo permite que associados à Instituição Financeira Cooperativa vendam produtos e serviços entre si.

Desenvolvido pela startup Hallo, a ferramenta pode ser usada não apenas como maneira de apoiar a operação das empresas, mas também por pessoas que queiram adquirir e comercializar produtos e serviços sem sair de casa, de forma segura e por meio das facilidades de pagamento oferecidas pelo Sicredi. “O Conecta é um aliado neste momento em que as empresas perceberam a importância de fomentar os negócios online. O aplicativo é bastante simples e intuitivo. Ele certamente apoiará o associado, possibilitando inclusive uma renda extra”, afirma Karine Colombo Crocetta, gerente regional de desenvolvimento da Sicredi Sul SC.

“Muito mais que soluções financeiras, nosso papel é pensar permanentemente em alternativas de apoio ao associado. O Conecta é a maneira que encontramos para estimular e cooperar principalmente com os pequenos e médios negócios e a economia da região onde atuamos”, completa Aloísio Westrup, presidente da Sicredi Sul SC.

O Sicredi Conecta pode ser baixado nas lojas virtuais Google Play e Apple Store.

Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Criciúma recebe devolutiva da etapa regional da Conferência de Ciência, Tecnologia e Inovação

Publicado

em

Ouça esta matéria

O Centro de Inovação de Criciúma recebeu na última semana a devolutiva da etapa regional da VI Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (CECTI). No evento, organizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), teve o intuito de fornecer informações com potencial de tornar assertivo o planejamento do sistema de inovação do estado. 

A última edição do evento ocorreu em 2015 e a atualização dos dados se tornou uma necessidade dos ambientes que envolvem tecnologia, inovação e ciência. Participaram dos grupos no início de abril, representantes do mercado, membros do governo, da academia e da sociedade civil organizada. “Um dos pontos evidenciados pelo resultado da pesquisa foi a importância de fortalecer a região como um espaço de inovação além do empreendedorismo, integrando regiões e ações”, explica a relatora do evento inicial, Patricia Darolt. 

O momento oportunizou a entrega do mapa estratégico com os objetivos e ações para Santa Catarina que envolvem mudanças políticas e incentivos setoriais e regionais, compartilhamento de infraestrutura, divulgação científica e cultura empreendedora e inovadora. “Foi possível também perceber que precisamos explorar o conceito de ações de integração das cidades do sul do estado“, completa o diretor de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação de Criciúma, Aldinei Potelecki.

Para o presidente do Comitê de Implantação do Centro de Inovação de Criciúma, Valmir Cabral, a Conferência contribuiu para a compreensão do cenário regional e percepção dos integrantes sobre o ambiente de inovação. “Movimentos como esse servem como um estímulo para criação de um ecossistema que se conecta à realidade e principalmente caminha em direção dos objetivos de forma coletiva”, considera.

Comitê de Implantação do Centro de Inovação de Criciúma

O comitê é responsável pela implantação do Centro de Inovação em Criciúma. O grupo é formado por representantes de entidades e empresas da cidade que se reúnem mensalmente para definir ações que ativam o ecossistema de inovação em Criciúma, bem como a execução das atividades de implantação do Centro de Inovação.

Continue Lendo

Economia

Empresas Juniores da Unesc integram MEJ

Publicado

em

Ouça esta matéria

Considerada a principal ferramenta de educação empreendedora no ambiente acadêmico, o Movimento Empresa Júnior (MEJ) já é uma realidade próxima dentro da Unesc. Representado pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), por meio do seu Departamento de Amparo às Empresas Juniores (EJ), as EJ’s da universidade passarão a compor um núcleo institucionalizado e autônomo, com foco na aproximação com a Federação de Empresas Juniores do Estado de Santa Catarina (Fejesc) e Brasil Jr, potencializando o diálogo entre a instituição e demais instâncias de representação em nível estadual e nacional.

O MEJ é um movimento nacional que surgiu com a missão de formar, por meio da vivência empresarial, empreendedores comprometidos e capazes de transformar o Brasil. Desde 2010, o movimento já impactou mais de R$ 100 milhões na economia brasileira, que são integralmente reinvestidos na educação empreendedora dos estudantes. São mais de 1200 empresas juniores confederadas à Brasil Jr em mais de 226 instituições de ensino superior (IES) públicas e privadas em todos os estados brasileiros.

As Empresas Juniores não são uma novidade na Unesc. A Universidade tem uma equipe dedicada na sua Agência de Inovação (Aditt), por meio do Núcleo de Empreendedorismo, para apoiar o processo de criação e desenvolvimento da sustentabilidade das empresas juniores na instituição, atualmente cinco em funcionamento e duas em processo de fundação. 

A pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, Gisele Coelho Lopes, acredita no movimento que possibilitará o desenvolvimento de competências profissionais importantes, muito requeridas pelo mercado de trabalho. “Além do comportamento empreendedor, resiliência e proatividade, visão estratégica e capacidade de solucionar problemas complexos, são essenciais para os profissionais neste novo tempo. A Unesc é forte apoiadora do movimento, tendo resolução própria e também de condições para minimizar a rotatividade dos sócios, um desafio muito presente aos projetos de empresas juniores em instituições comunitárias não públicas”, reforça.

Para o coordenador do Departamento de Amparo às Empresas Júniores do DCE, Cassiano Farias, a aproximação com o Movimento irá proporcionar aos acadêmicos uma maior vivência no ambiente empreendedor e agregar conhecimento nas áreas em que atuam. “Queremos dar mais visibilidade às EJ’s que já estão aqui dentro da Unesc e potencializar a formação de novas empresas, alinhadas com um programa institucional que garanta a sua manutenção e permanência, para isso temos que ter a instituição como principal investidora e fiadora desse projeto. Isto porque, percebemos que atualmente boa parte dos estudantes, colaboradores e até professores não sabem o que é uma EJ. Este movimento possui um potencial muito grande de formação e capacitação de lideranças e a Unesc, bem como os movimentos estudantis, não podem ficar alheios ao que vem ocorrendo nas EJ’s”, enaltece.

Alinhado à gestão institucional e acadêmica, o movimento pretende crescer e ganhar novos espaços dentro da comunidade. “Quem sabe, num futuro, poderemos conquistar que uma parcela dos serviços contratados na Unesc, sejam realizados por empresas autogeridas por estudantes. Empresas sólidas, que tenham uma perenidade”, prospecta Farias.

Liderando o movimento no Sul do estado, o grupo de empresários busca, ainda, assumir a vanguarda de um polo MEJ no extremo Sul de Santa Catarina. “Queremos adquirir autonomia, auxiliar na fundação das empresas e ser referência em nossa região”, assegura.

Continue Lendo

Economia

Betha Sistemas oferece curso gratuito de programação

Publicado

em

Ouça esta matéria

Quem se interessa por tecnologia e tem vontade de aprender ainda mais sobre a área não pode perder essa oportunidade. A Betha Sistemas acaba de abrir inscrições para o seu curso gratuito de programação, o Betha Code. As aulas iniciam no dia 29 de maio e serão realizadas sempre aos sábados pela manhã, na sede da empresa, que fica no Bairro Pio Corrêa, em Criciúma.

O curso é voltado a pessoas de qualquer idade e que já estudaram ou estejam estudando sobre programação. Durante os seis meses de duração das aulas, o aluno irá se aprofundar no assunto com os conhecimentos de um profissional que já atua na área, aliando teoria e prática e desenvolvendo habilidades para se destacar no mercado de trabalho.

“A área de programação está em plena expansão e conta com muitas possibilidades para aqueles que escolhem esse caminho. Por isso, todo aprendizado é importante. No curso que estamos oferecendo, além de contar com aulas gratuitas, o aluno ainda desenvolverá o raciocínio lógico e a criatividade na resolução de problemas”, comenta a supervisora de Atração e Retenção da Betha, Juliana Madalosso Fascin.

As disciplinas que compõem o curso abrangem todo o ecossistema do mundo da programação, com conteúdos de PostgreSQL (banco de dados), Java com Spring Boot (BackEnd), AngularJS (FrontEnd), Teste Unitários e a Criação de um Service Layer com a respectiva documentação.

As vagas para o Betha Code são limitadas e as inscrições são realizadas exclusivamente de forma on-line, até o dia 18/05, neste link (disponível também no site da empresa: www.betha.com.br).

Sobre a Betha:

A Betha Sistemas é especialista no desenvolvimento de softwares para a gestão pública e tem 35 anos de história. Além da matriz em Criciúma, a empresa conta com seis filiais, 20 revendas, mais de 500 colaboradores e mais de 800 clientes distribuídos por todo o país. As soluções de tecnologia desenvolvidas pela Betha são voltadas a modernizar e tornar mais eficientes todos os setores das entidades públicas brasileiras, refletindo em benefícios para o cidadão.

Continue Lendo

Mais vistos

© Copyright 2007-2021 sulnoticias.com