Startup Weekend Criciúma 2019 começa nesta sexta-feira

Criciúma

O maior evento para o segmento de startups do mundo chega à quinta edição na cidade de Criciúma a partir desta sexta-feira (4), na ACIC. Cerca de 80 participantes embarcam na jornada de 54 horas do Startup Weekend com o desafio de, divididos em times, transformar ideias em modelos de negócios viáveis, que resolvam problemas reais e escaláveis. O resultado desse trabalho intensivo poderá ser visto pelo público no domingo (6), a partir das 17h, no auditório Jayme Zanatta.

Consolidado no calendário dos eventos ligados à inovação em Criciúma, o Startup Weekend chega à quinta edição, sempre com lotação máxima. Participam profissionais de negócios/administração, designers e desenvolvedores de sistemas. No início os participantes apresentam suas propostas de negócios e as mais bem votadas viram equipes que trabalham durante o fim de semana. A última etapa é apresentar a solução/startup a uma banca de jurados, como se estivesse tentando convencê-los a comprar o produto ou investir na empresa.

“Essas apresentações, os famosos “pitches”, são uma oportunidade bem bacana para todos que querem conhecer um pouco do que é o mundo das startups. Nesse momento em todos os anos anteriores pudemos constatar o enorme potencial das mentes criativas da nossa região, pelas soluções apresentadas e principalmente o trabalho desenvolvido durante todo o fim de semana para que se chegue à apresentação”, comenta o membro da comissão organizadora do SW Criciúma, Jhony Pereira.

Em edições do SW, em nível mundial, nasceram empresas multinacionais como a Easy Taxi, Rover.com e TripLingo. Das edições em Criciúma algumas dão os primeiros e bem sucedidos passos no mercado, como a CHAWork (recrutamento e seleção por comportamento), Aduboo (gestão de resíduos orgânicos) e a ColmeiaX (plataforma de compartilhamento de manufatura), campeã da edição de 2018. “Não saímos com a ideia pronta de lá, mas foi um excelente laboratório. Hoje focamos no setor metal-mecânico e, se fôssemos uma empresa física, com o as máquinas que temos, teríamos o maior parque fabril do Brasil”, conta o CEO da ColmeiaX, Gustavo De Lucca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *