Conecte-se conosco

Política

Aprovada continuidade do impeachment contra Moisés e Daniela

Publicado

em

Florianópolis

Plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina aprovou com 32 votos favoráveis, sete contrários e uma abstenção a continuidade do processo de impeachment da vice-governadora Daneila ReinertGovernador Carlos Moises e de sua vice Daniela Reinert. Na sequência foi votada a proposta contra o Governador Carlos Moisés. Nova aprovação. Desta vez por 33 votos favoráveis, seis contrários e uma abstenção.

Agora uma comissão será formada com cinco desembargadores e cinco deputados e comandada pelo presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Essa comissão fará mais uma votação. Se a maioria optar pelo afastamento de Governador e da Vice, os dois deixam a função por seis meses para serem julgados e neste período o presidente da Assembleia Legislativa assume o comando do executivo.

Durante a sessão o Governador Carlos Moisés assumiu o erro. Não o do reajuste aos procuradores do Estado. Em texto encaminhado ao Parlamento e lido pela deputada Paulinha, Carlos Moisés admite que errou no relacionamento da Assembleia Legislativa. “De fato ouvimos poucos os senhores e senhoras deputadas. Me dirijo a vocês neste momento tão delicado para Santa Catarina. É preciso unir esforços para vencer os desafios para o bem de todos os catarinenses. Estou reafirmando meu compromisso de governar bem Santa Catarina até 31 de Dezembro de 2022”, lembrou o Governador.

Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Coligação Içara Não Para repudia tentativa de agressão de cabo eleitoral de oposição

Publicado

em

Içara

Na tarde desta terça-feira, dia 20, durante visitas na comunidade de Poço 8, em Içara, o candidato a vice-prefeito da Coligação Içara Não Para, Valdelir Darolt, foi surpreendido por um cabo eleitoral de uma candidata de oposição que tentou agredi-lo com um pedaço de madeira. A cena de violência foi registrada em vídeo por uma moradora e viralizou nas redes sociais.

Após o ocorrido, o candidato registrou um Boletim de Ocorrência. “Estou profundamente triste pelo ocorrido. Não podemos acreditar que hoje em dia existam cabos eleitorais que apelem para agressão e violência. Política se faz conversando, apresentando proposta e compartilhando ideias. É assim que estamos fazendo e iremos continuar”, coloca Darolt. 

Informações da Assessoria de Imprensa do Candidato

Continue Lendo

Política

Moisés sofre nova derrota e segundo processo de impeachment vai adiante

Publicado

em

Florianópolis

Está aprovada a continuidade de mais um processo de impeachment contra o Governador Carlos Moisés. A ação que julga o envolvimento do Governador no caso dos respiradores foi aprovada ontem por 36 votos favoráveis, 2 votos contrários, uma abstenção e uma ausência. Nenhuma surpresa, o resultado de lavada já era esperado.

Mais uma vez a sessão se alongou demais. Foram discursos intermináveis, repletos de adjetivos rebuscados, alguns inflamados, outros carregados de emoção, mas que convenhamos para pouco serve. Sem entrar no mérito do envolvimento ou não do governador no caso dos 33 milhões, é preciso entender que esse é um processo político. Um processo que ganha força a medida que o governador perde apoio popular.

Agora um novo tribunal de julgamento vai ser formado para avaliar se Moisés deve ser afastado do cargo para que seja julgado. Na sexta-feira a batalha de Moisés é mais ácida. Se perder, e o risco é iminente, ele e a vice deixam o cargo por seis meses para serem julgados.

Continue Lendo

Política

Vereadores aprovam projeto de que parlamentar não poderá assumir secretaria

Publicado

em

Criciúma

Foi aprovado em primeiro turno na Câmara de Vereadores de Criciúma o projeto do vereador Ademir Honorato. Ele veda a presença de vereador em cargos do primeiro escalão do executivo municipal.“Essa proposta muda as regras a partir da próxima legislatura. Além disso, estamos em um processo eleitoral e as pessoas cobram que o vereador que se eleger fique até o final no exercício do mandato. É a hora de dar o exemplo”, argumenta Ademir.

Agora a proposta vai para uma segunda votação em um prazo de 10 dias e precisa mais uma vez ser aprovada. É ai que as barbas ficam de molho. Em primeiro turno ela já passou em uma outra oportunidade e depois acabou sendo rejeitado.

Na sessão desta terça-feira o vereador Júlio Colombo (PL) tentou cobrar do vereador Aldinei Potelecki, Líder do Governo, uma posição do prefeito com relação ao projeto. Não obteve resposta e alertou apra um “golpe” no segundo turno da matéria.

Continue Lendo

Mais vistos