Conecte-se conosco

Política

Governador lamenta morte do Deputado Aldo Schneider

Publicado

em

O governador Eduardo Pinho Moreira decretou luto oficial por sete dias devido ao falecimento do deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Aldo Schneider, na tarde deste domingo, 19. “Com tristeza recebo a notícia do falecimento do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Aldo Schneider, com quem tive oportunidade de amplo convívio na condição de homem público e amigo. Ele deixa um legado de realizações e serviços prestados a Santa Catarina. Lutou até o fim, com a garra e coragem que sempre lhe foram peculiares. Meus sentimentos à família e a todos os que acompanharam sua jornada”, disse o governador.

Nota de Pesar

É com profundo sentimento de pesar que o Governo de Santa Catarina recebe a notícia do falecimento do deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina Aldo Schneider, neste domingo, 19. Analista da Receita Estadual, Aldo era funcionário de carreira da Secretaria de Estado da Fazenda. Foi vereador, prefeito de Vitor Meireles por três gestões, Secretário de Estado de Desenvolvimento Regional de Ibirama e atualmente estava no seu segundo mandato como deputado estadual. Lutava contra um câncer na coluna desde 2017.  Aldo Schneider deixa a esposa Marita e os filhos Nathali Aline e Bruno Gustavo.

O Governo do Estado, em razão do falecimento, decreta luto oficial por sete dias.

Aldo Schneider nasceu e iniciou seus estudos na pequena Agrolândia, no Alto Vale do Itajaí. Perseverante, formou-se em Gestão Empresarial pela Uniasselvi e ingressou na Secretaria de Estado da Fazenda como Analista da Receita Estadual em 1980.

Foi vereador pelo município de Ibirama, tendo como bandeira a emancipação do atual município de Vitor Meireles, onde foi o primeiro prefeito, cargo que voltou a ocupar por mais duas vezes. Foi eleito Deputado Estadual de Santa Catarina com 36.449 votos, em 2010, e reeleito com 58.646 votos em 2014. Na última Legislatura (2014-2018) foi indicado por seus pares para presidir o Parlamento.

Essa trajetória, contudo, foi precocemente interrompida depois de longa batalha contra o câncer, diagnosticado em 2017. Período durante o qual lutou com todas as suas forças para trabalhar em prol da sociedade catarinense até o fim. Aldo Schneider deixa a esposa Marita e os filhos Nathali Aline e Bruno Gustavo.

Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Advogada, ex-policial e produtora Rural: Daniela será a primeira mulher governadora de Santa Catarina

Publicado

em

Florianópolis

Em cada canto do Estado a aposta dos últimos dias era de que o governador seria mesmo o presidente da Assembleia Legislativa Júlio Garcia. A verdade é de que tudo se encaminhava para isso. O que ninguém contava era com o “Efeito Sargento Lima”. Crítico ferrenho do Governador e, por inúmeras vezes também da vice, ele surpreendeu a todos. Na hora de proferir seu voto confirmou a denúncia contra Moisés, mas não contra a Daniela. Estava decretado o empate no caso da vice. Coube então ao presidente do Tribunal de Justiça o desempate e ele acabou votando a favor de Daniela.

Se as apostas se confirmarem mais uma vez, Moisés deve ser sim cortado do executivo. Afinal é preciso lembrar que ele tem ainda o Impeachment dos respiradores para enfrentar, esse ainda mais delicado. Com isso caberá a inexperiente Daniela conduzir o Estado até o final de 2022.

Daniela Reinehr é natural de Maravilha. E assim como Cacildo Maldaner, o outro filho ilustre da pequena cidade do Oeste do Estado, deixa a condição de vice para assumir o poder. Daniela tem 43 anos, é advogada, produtora Rural e ex-Policial Militar. Na cidade de Chapecó atuou como advogada nas áreas do Direito empresarial, administrativo, civil e comércio exterior.

“É uma responsabilidade muito grande. Eu tenho que honrar esta missão”, ressaltou a vice ao final da sesão deste sábado.

Continue Lendo

Política

Tribunal afasta Carlos Moisés e vice assume Governo na terça

Publicado

em

Florianópolis

Governador Carlos Moisés está oficialmente afastado do comando do executivo de Santa Catarina pelo prazo de até seis meses. A decisão foi tomada por volta das duas horas da madrugada deste sábado pelo Tribunal do Julgamento na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Agora Moisés será julgado por crime de responsabilidade pelo reajuste dado para os procuradores do Estado. O comando do Governo catarinense fica nas mãos da vice. Daniela Reinehr teve denúncia rejeitada e assume interinamente a partir de terça-feira.

Em cada canto do Estado a aposta dos últimos dias era de que o governador seria mesmo o presidente da Assembleia Legislativa Júlio Garcia. A verdade é de que tudo se encaminhava para isso. O que ninguém contava era com o “Efeito Sargento Lima”. Crítico ferrenho do Governador e, por inúmeras vezes também da vice, ele surpreendeu a todos. Na hora de proferir seu voto confirmou a denúncia contra Moisés, mas não contra a Daniela. Estava decretado o empate no caso da vice. Coube então ao presidente do Tribunal de Justiça o desempate e ele acabou votando a favor de Daniela. Foi-se ai a chance do Sul do Estado ter de novo, ainda que interinamente, o Governador do Estado.

A defesa do Governador Carlos Moisés, representada pelo advogado Marcos Probst, avalia que o Governador recebeu votos importantes durante o julgamento e isso fazem acreditar na absolvição do Moisés em um segundo julgamento. O afastamento apenas do Governador foi a grande surpresa da sessão. A aposta em toda Santa Catarina era de que Governador e vice seriam denunciados e que com isso Júlio Garcia assumiria o Governo, mas não foi o que aconteceu.

A sessão começou por volta das 10 horas da manhã de sexta-feira e só foi finalizada as 2 horas desta madrugada. No caso do Governador foram seis votos a favor da denúncia e quatro contra. No caso da vice houve empate em 5 a 5 e conforme determina o regimento coube ao presidente do Tribunal de Justiça dar o voto de minerva. 

Agora, enquanto Moisés tiver afastado o Tribunal voltará a se reunir para avaliar se, de fato, ele cometeu crime de responsabilidade no caso da equiparação salarial dos procuradores do Governo do Estado com os procuradores da Assembleia Legislativa. Durante o afastamento, Moisés também fica sem um terço do seu salário, que será devolvido caso ele seja absolvido.

Os  Votos

  • Deputado Kennedy Nunes (PSD) – votou por aceitar a denúncia contra Moisés e Reinehr. Ele é o relator do tribunal
  • Desembargador Carlos Alberto Civinsk – votou por rejeitar a denúncia contra governador e vice
  • Desembargador Sérgio Antônio Rizelo – votou por rejeitar a denúncia contra Moisés e Reinehr
  • Deputado Maurício Eskudlark (PL) – votou por aceitar a denúncia contra o governador e a vice
  • Desembargadora Cláudia Lambert de Faria – votou por rejeitar a denúncia contra Moisés e Reinehr
  • Deputado Sargento Lima (PSL) – votou por aceitar a denúncia contra o governador, mas rejeitá-la em relação à vice
  • Desembargador Rubens Schulz – votou por rejeitar a denúncia contra Moisés e Reinehr
  • Deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB) – votou por aceitar a denúncia contra o governador e a vice
  • Desembargador Luiz Felipe Schuch – votou por aceitar a denúncia contra Moisés e Reinehr
  • Deputado Laércio Schuster (PSB) – votou por aceitar a denúncia contra o governador e a vice
Continue Lendo

Política

Gravação de Murialdo será retirada de programa de Michels

Publicado

em

Içara

A gravação de uma declaração do prefeito Murialdo Gastaldon (MDB) com elogios ao candidato Alex Michels será excluída do programa eleitoral do PSD. A gravação, que faz parte de uma entrevista concedida pelo prefeito antes do início do processo eleitoral, foi utilizada sem a autorização de Gastaldon.

A informação de que o áudio irá sair do ar foi repassada pelo próprio prefeito. Inicialmente a informação que chegou era de Gastaldon iria pedir judicialmente a retirada. “Mas eu conversei com eles e ela será excluída. Não fiz qualquer gravação para Programa eleitoral”, ressaltou Murialdo.

A utilização do áudio gerou indignação e acirrou o ânimo das militâncias de MDB e aliados e foi um dos temas do almoço entre o prefeito e o candidato Arnaldinho Lodetti nesta sexta-feira.

Continue Lendo

Mais vistos