Iparque e reitoria da Unesc afinam os objetivos

Criciúma

Na busca pela perfeita integração entre a Unesc e o Parque Científico e Tecnológico (Iparque) da instituição, a reitora da universidade, Luciane Bisognin Ceretta, conduziu, na tarde desta terça-feira (14), a ação Diálogos Unesc.

O evento reuniu colaboradores e professores do Iparque para discutir ações recentes da gestão, tais como revitalização e embelezamento da estrutura do Iparque, equilíbrio financeiro e inovação.

Também foram debatidas ações futuras, bem como sugestões de melhorias postas pelos colaboradores e a expansão de pesquisas e aplicação de tecnologias, áreas de especialidade e excelência do Iparque.

Durante o encontro, os presentes também assistiram uma apresentação detalhada sobre a atual situação financeira da Unesc, norteada pelo consultor financeiro Zanoni Elias. Os Diálogos são uma série de atos promovidos pela reitoria para proliferar o sentimento de pertencimento em cada ambiente da universidade.

Para um melhor convívio

Segundo a reitora da Unesc, os Diálogos proporcionam interações sinceras e abertas com os colaboradores da instituição. “São conversas francas, pois estamos abertos para dialogar, ouvir o que cada um tem a dizer”, colocou a gestora, que também reiterou a importância da participação de todos na busca por uma Unesc cada vez melhor. “A Unesc não tem dono, mas se tivesse, seriamos todos que aqui estão”, comentou.

A conversa levou a uma interação animada e contagiante entre gestão e colaboradores. Juntas, ambas as partes se comprometeram a pôr em prática atividades benéficas para o ambiente do Iparque, tais como a melhor integração entre estudantes da universidade e laboratórios e ambientes de estudo ofertados pelo Iparque. “Temos que mirar no futuro. O Iparque conta com muita gente jovem, que vai construir o futuro da Unesc, e nós estamos aqui para ouvi-los e conciliar necessidades com possibilidades”, pontuou Luciane.

O diretor do Iparque, Fernando Bertan, reforçou a importância dos Diálogos. “É de extrema necessidade que todos nós estejamos a par dos bons resultados do Iparque, das ações que foram e serão desenvolvidas, planos para o futuro, entre outras informações internas”, ressaltou, acrescentando ainda a necessidade de que os colaboradores conheçam cada um dos setores do Iparque. “Essa é a finalidade das reuniões internas que realizamos de tempos em tempos, apresentando os resultados e mantendo o diálogo aberto a todos”, disse Bertan.

Diversidade de assuntos em pauta

Além da sustentabilidade financeira e inovação, outros pontos discutidos foram a excelência acadêmica, valorização de pessoas, respeito as diversidades, participação da comunidade, tecnologias da informação, atenção ao estudante, internacionalização, comunicação e marketing, meio ambiente e educação a distância.

Os temas trouxeram à tona diferentes vozes, como o engenheiro agrimensor do Iparque, João Paulo Casagrande da Rosa, que sugeriu a participação do Iparque em conselhos municipais da região, além exaltar a facilidade em se acessar a reitoria. “É algo que precisávamos muito, facilitando todo o contato que precisamos ter para levar projetos do Iparque para a frente”, parabenizou o profissional, elencando também o reconhecimento da marca Unesc ao visitar Prefeituras de diversas cidades catarinenses para apresentar projetos do Iparque.

Mas não foi só o João Paulo que apresentou ideias durante o encontro. Entre muitos outros, o engenheiro ambiental do Iparque, Eder Costa Cechella, sugeriu que a organização siga firme para que os bons resultados continuem aparecendo. “É a primeira vez em anos no Iparque que temos uma conversa destas com a reitoria. É muito bom para que possamos alinhar pensamentos e objetivos para o futuro do Iparque, que está bonito visualmente e também na questão de projetos em execução e finalizados. Estamos crescendo e pretendemos continuar assim com a boa vontade da reitoria em nos ajudar”, agradeceu.