Conecte-se conosco

Economia

Unidades da Rio Deserto entre as minas mais seguras do Brasil

Publicado

em

As Unidades de Extração Mina Cruz de Malta e Mina 101, das Empresas Rio Deserto, se classificaram entre as minas mais seguras do Brasil em se tratando de segurança do trabalho. A avaliação, divulgada na 391ª edição da Revista Minérios & Minerales, utilizou como critério o número de horas trabalhadas sem acidentes com afastamento. A avaliação considera na análise minas de superfície e de subsolo de todo o país.

No período de 6 de julho de 2016 a 30 de setembro de 2017, a Mina Cruz de Malta, localizada em Treviso(SC), registrou 459.003 horas sem acidentes com afastamento. O dado garantiu o 17º lugar no ranking da revista. Já a Mina 101, localizada em Içara(SC), ficou com a 22ª colocação por apresentar 30.228 horas trabalhadas sem acidentes com afastamento entre 15 de setembro e 13 de outubro de 2017. As duas unidades de extração das Empresas Rio Deserto também conquistaram o 3º e o 4º lugar, respectivamente, no ranking de investimentos em preservação ambiental. A Unidade de Extração Mina 101 também se classificou como a 5ª mina do Brasil com mais investimentos em programas de segurança.

O engenheiro e coordenador de segurança do trabalho das Empresas Rio Deserto, Jonathann Nogueira Hoffmann, destaca que se a pesquisa avaliasse apenas as minas de subsolo, que representam mais riscos, ambas as unidades das Empresas Rio Deserto estariam entre as cinco mais seguras do Brasil. “O reconhecimento mostra que estamos no caminho certo e que os processos que a empresa executa seguem as normas. Esse não é um trabalho apenas de 2017, e sim um trabalho de cinco, seis anos. É resultado do incentivo às práticas de segurança, realização do DDS (Diálogo Diário de Segurança), aplicação da NR 12, envolvimento de toda a equipe operacional, administrativa e dos demais setores. Continuaremos empenhados buscando melhorias, adequações e execução dos controles existentes para chegar na segurança total”, explica Hoffmann.

Para o engenheiro de minas e gerente da Unidade de Extração Mina 101, Fábio Vanzeloti da Rosa, o reconhecimento é fruto da excelência e da dedicação. “Estar relacionada entre grandes empresas no quesito ‘segurança’ é uma coroação pelo trabalho de toda a equipe. Todas as campanhas e programas implementados ao longo dos últimos anos geraram uma mudança de cultura em um setor que tem a imagem desgastada pela negligência do passado nas minas de carvão. As Empresas Rio Deserto mostram que a segurança é uma de suas competências organizacionais mais fortes e que estamos no caminho certo”, sublinha.

Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Outubro fecha com saldo positivo na geração de empregos na Amrec

Publicado

em

Criciúma

Confirmando a reação gradativa da economia o saldo na geração de emprego foi mais uma vez positivo na região. Outubro terminou com 1.663 pontos de trabalho com carteira assinada criados nos 12 municípios da Amrec. O destaque mais uma vez ficou para Içara e Criciúma. Principal cidade da Amrec, Criciúma teve a criação de 695 vagas. Içara, cidade que lidera a geração de empregos no ano na região, somou em outubro 435 vagas com carteira assinada.

Nos demais municípios da Amrec, saldo positivo em Nova Veneza (110 vagas), Urussanga (109 vagas), Siderópolis (105 vagas), Orleans (100 vagas), Morro da Fumaça (81 vagas), Cocal do Sul (24 vagas), Treviso (13 vagas), Balneário Rincão (3 Vagas) e Lauro Müller (2 vagas). Só Forquilhinha fechou no vermelho. A cidade teve o encerramento de 19 postos de trabalho a mais que as contratações.

No acumulado do ano o destaque continua sendo Içara. Sozinha a cidade gerou de Janeiro a Outubro 1.202 vagas. O número representa mais de 30% dos 3.287 empregos gerados no ano na Amrec. De todas as cidades da Amrec a única que não conseguiu recuperar os empregos perdidos na Pandemia é Cocal do Sul. Município tem um saldo negativo de 95 empregos.

Continue Lendo

Economia

Casa do Empreendedor: dois anos auxiliando na abertura de novos negócios em Criciúma

Publicado

em

Criciúma

Um local único, que oferece orientação, apoio e o suporte necessário para os empreendedores. Essa é a Casa do Empreendedor de Criciúma. Completando dois anos de funcionamento no Paço Municipal Marcos Rovaris, o setor cumpre um importante papel de incentivo na geração de empregos e empreendedorismo. Até o momento, foram abertas mais de 5.600 novas empresas na cidade. 

Mesmo em plena pandemia, o órgão disponibiliza todos os serviços como a emissão de alvarás, notas fiscais e certidões, presencialmente, ou de forma online pelo endereço [email protected] “O site é um facilitador, pois explica o passo a passo de como abrir uma empresa”, comentou o coordenador da Casa do Empreendedor, Agenor Brunel.

“A Casa do Empreendedor unificou em um só local, todos os segmentos necessários para abrir uma empresa, facilitando e agilizando a vida do empreendedor, levando até três dias para liberar o alvará de funcionamento”, complementou Brunel.  Estes segmentos são:  Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri), Vigilância Sanitária, Fiscalização de Posturas e liberação do Alvará de Funcionamento. 

O setor beneficia todos os portes de negócios, como Microempreendedores Individuais (MEIs), Microempresa (ME), Empresas de Pequeno Porte (EPP), Empresas de Médio Porte (EMP), Empresas de Grande Porte (EGP) e profissionais autônomos.

Novos serviços

Entre os novos serviços oferecidos pela Casa do Empreendedor estão a emissão de guias DAS-MEI, declaração anual (MEI), auxílio para emissão de notas fiscais e orientações sobre linhas de crédito disponíveis ao Micro e Pequeno Empreendedor.

Neste ano, também foi aberto um novo um canal de comunicação entre a Casa e os contribuintes/empreendedores. O contato por meio do aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp, pode ser feito pelo número (48) 9 9951-2785. 

Áreas industriais

Criciúma já possui cinco áreas industriais, localizadas nos bairros Cristo Redentor, Rio Maina, Laranjinha, Linha Batista e Bosque do Repouso. A Casa do Empreendedor está responsável pelos trâmites do processo do sexto espaço, localizado no bairro Verdinho. A previsão de inauguração é para o primeiro trimestre de 2021.

Diretoria de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação

Cursos, capacitações e consultorias começaram a ser feitos em conjunto com a Diretoria de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação em 2020. Entre eles estão parcerias com Sebrae, Instituto Mix e outras empresas, dentro dos programas Supera Criciúma e Inova Criciúma.   

Continue Lendo

Economia

Estimativa de crescimento da economia cai para 1,99%

Publicado

em

Brasília

As instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) aumentaram a projeção para a inflação e reduziram a estimativa de crescimento da economia.

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – caiu de 2,17% para 1,99% em 2020, na quarta redução consecutiva. A estimativa das instituições financeiras para os anos seguintes – 2021, 2022 e 2023 – permanece em 2,50%.

Inflação

A estimativa para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), subiu de 3,19% para 3,20%. A informação consta no boletim Focus, pesquisa semanal do BC que traz as projeções de instituições para os principais indicadores econômicos.

Para 2021, a estimativa de inflação se mantém em 3,75%. A previsão para os anos seguintes também não teve alterações: 3,50% em 2022 e 2023.

A projeção para 2020 está abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4% em 2020. Para 2021, a meta é 3,75% e para 2022, 3,50%. O intervalo de tolerância para cada ano é 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, ou seja, em 2020, por exemplo, o limite mínimo da meta de inflação é 2,5% e o máximo, 5,5%.

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 4,25% ao ano. Para o mercado financeiro, a Selic deve ser mantida no atual patamar até o fim do ano. Em 2021, a expectativa é de aumento da taxa básica, encerrando o período em 5,5% ao ano. Na semana passada, a previsão estava em 5,75% ao ano, ao final de 2021. Para o fim de 2022 e 2023, a previsão foi mantida em 6,5% ao ano.

Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já a manutenção da Selic indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Dólar

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 4,20 para o fim deste ano e subiu de R$ 4,15 para R$ 4,20, ao fim de 2021.

Continue Lendo

Mais vistos

© Copyright 2007-2020 sulnoticias.com